De Fora da Área

Marcelo Carvalho: Tolerância Racial

O futebol é um importante instrumento de luta contra a discriminação racial

Por: Marcelo Carvalho, diretor executivo do Observatório da Discriminação Racial no Futebol
03/07/2015 - 14h52min
Na sua chegada ao Brasil, o futebol era elitista. Os primeiros clubes não aceitam negros, mas também os brasileiros pobres. A história da inserção do negro no futebol brasileiro acontece concomitantemente com a profissionalização, mesmo que alguns clubes antes de 1933, ano da profissionalização, já aceitassem atletas negros e mestiços. A grande mudança aconteceu a partir deste ano e transformou o futebol em importante caminho de invenção de mercado para ascensão social dos negros. Era a deixa para que os primeiros grandes ídolos surgissem.

Caue Fonseca: Por onde começar a mudança na Seleção

Antes de frequentarem os grandes clubes, os negros e demais brasileiros pobres jogavam em ligas amadoras, dentre as mais conhecidas está a Liga da Canela Preta e dela é oriundo o grande craque do Internacional no chamado Rolo Compressor: Osmar Fortes Barcellos, ou simplesmente Tesourinha, que também defendeu a Seleção Brasileira e mais tarde tornou-se o primeiro atleta negro a jogar oficialmente pelo Grêmio.

A história do Inter é em grande parte a história de grandes ídolos negros, como o autor do primeiro gol do Beira-Rio, Claudiomiro, ou de um dos heróis das Libertadores, Paulo Cesar Tinga, que recentemente sofreu na pele um covarde ato de intolerância racial, que levou o país a refletir sobre o racismo.

Newton Drummond: a gestão além do coração

O futebol é um importante instrumento de luta contra a discriminação racial, mesmo que alguns atos racistas insistam em macular a imagem do esporte mais popular do país. Uma ação concreta é o Observatório da Discriminação Racial no Futebol. O projeto monitora e divulga os casos de racismo no futebol brasileiro, assim como ações afirmativas que visem a erradicar esse problema social. O Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol Brasileiro apresentou 20 casos de racismo no país em 2014 e evidencia que precisamos tratar o assunto de forma mais séria.

O posicionamento institucional do Internacional em parceria com o Observatório e apoio da Ajuris se dará neste domingo no jogo da Tolerância Racial, antes de enfrentar o Atlético-MG. Será o momento de demonstrar para a sociedade que podemos viver em harmonia e respeito, pois o estádio sempre representou uma grande comunhão de pessoas de diversas raças e classes sociais. Vamos promover a inclusão social. Somos todos iguais.

Leias todas as colunas do De Fora da Área
 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.