Atrás das grades

Jogadores cubanos de vôlei são condenados à prisão por estupro na Finlândia

O crime contra uma finlandesa aconteceu em julho durante a Liga Mundial

Por: AFP
20/09/2016 - 09h47min | Atualizada em 20/09/2016 - 09h51min
Jogadores cubanos de vôlei são condenados à prisão por estupro na Finlândia Kalle Parkkinen/AFP
Foto: Kalle Parkkinen / AFP

Detidos desde julho em Tempere, na Finlândia, cinco jogadores da equipe cubana de vôlei foram condenados nesta terça-feira por estupro. O crime contra uma finlandesa aconteceu no dia 2 de julho no hotel em que o time estava hospedado durante a Liga Mundial de Vôlei.

Quatro acusados foram condenados a cinco anos de prisão: o ex-capitão Rolando Cepeda Abreu, Abrahan Alfonso Gavilán, Ricardo Calvo Manzano, e Osmany Uriarte Mestre. O quinto, Luis Sosa Sierra, foi condenado a três anos e meio de prisão. Já Dariel Albo Miranda foi absolvido.

Leia mais:
Justiça bloqueia bens de empresa responsável por transmissão da Olimpíada
Após ter exames antidoping vazados, Nadal afirma: "Se me dão permissão, deixa de ser proibido"
Rafael Nadal aparece em nova lista de exames antidoping vazada por hackers russos

— Os jogadores forçaram juntos e de comum acordo a manter várias relações sexuais por meio da violência e aproveitando seu medo e impotência — afirmou o tribunal durante o julgamento.

Albo Miranda foi absolvido depois que a vítima e outros acusados afirmaram que ele não participou dos atos. Todos os acusados também deverão pagar 24 mil euros (cerca de R$ 88 mil) à vítima.

Foto: Kalle Parkkinen / AFP

Os acusados foram detidos no dia 3 de julho e desde então permanecem na prisão. As autoridades não divulgaram detalhes sobre a identidade da vítima, apenas que era maior de idade. O julgamento aconteceu a portas fechadas.

O processo impediu a presença dos atletas nos Jogos Olímpicos Rio 2016, onde Cuba perdeu as cinco partidas na fase de grupos.

*AFP


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.