Nacional

Juventude decide seu futuro na Série C em duelo fora de casa contra o Mogi Mirim neste domingo

Para classificar, equipe alviverde precisa vencer e secar o Ypiranga ou contar com outra combinação mais difícil

Por: Maurício Reolon
18/09/2016 - 06h38min | Atualizada em 18/09/2016 - 16h49min
Juventude decide seu futuro na Série C em duelo fora de casa contra o Mogi Mirim neste domingo Porthus Junior/Agencia RBS
Antônio Carlos Zago acredita na classificação às quartas de final Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

As trajetórias do Juventude nas últimas três disputas da Série C bem poderiam se encaixar como roteiros de filmes hollywoodianos. Os dois primeiros tiveram bons momentos, problemas que se desencadearam no meio do caminho e finais tristes para o torcedor. Por um ponto e depois por um gol, o time teve que amargar um novo início de história na temporada seguinte.

O filme de 2016 parecia melhor escrito em sua pré-produção. Finalista do Gauchão, o Juventude chegava em alta. Só que logo nos primeiros capítulos, tropeços que complicaram o restante do enredo. A força demonstrada na competição paralela, com a chegada nas oitavas de final da Copa do Brasil, deu um novo gás para o clube, que, mesmo aos trancos e barrancos, chega vivo para escrever o capítulo derradeiro da primeira fase.

De novo, o Juventude não depende apenas de si. De novo, uma vitória pode não ser suficiente. Será preciso vencer o Mogi Mirim neste domingo, às 16h, fora de casa, e ainda secar o Ypiranga, que recebe o mistão do líder Guarani, em Erechim. Em último caso, terá de torcer por derrota do Botafogo-SP para o Macaé e ainda tirar a diferença de seis gols de saldo.

– Infelizmente, não dependemos apenas da gente, ficamos em uma situação desconfortável, mas é preciso confiar. Acredito que para tirar o saldo de gols do Botafogo é muito difícil. Por isso, temos que pensar no Ypiranga. Primeiro, em vencer e, durante o jogo, estaremos atentos à partida em Erechim. No ano passado, o Brasil-Pe estava em uma situação até mais difícil e conseguiu a vaga e o acesso. Precisamos acreditar até o final – alertou o técnico Antônio Carlos.

No Jaconi, durante toda a semana, o clima foi de positivismo e confiança. Mais do que falar sobre a necessidade de depender de resultados paralelos, os jogadores destacaram o fato de chegar vivo na última rodada e a possibilidade real de comemorar a classificação após o confronto no interior paulista.

– É uma situação ruim de depender de outros resultados, já vivemos isso em anos anteriores e a pressão dentro de campo sempre aumenta, até por precisar ter o foco no jogo e ouvido no outro resultado que nos interessa. No ano passado, a gente saiu por um gol. Quem sabe, esse ano a história pode ser diferente e o vento possa soprar para o nosso lado – projeta Wallacer.

O que não falta no Jaconi é confiança. A fé de que o vento da sorte estará assoprando em verde e branco no domingo motiva comissão técnica, dirigentes e atletas. Quem sabe, desta vez, o roteiro do Juventude na Série C não seja abreviado antes mesmo do mata-mata e o sonho do acesso possa ficar mais próximo de se tornar realidade.

A equipe alviverde deve jogar neste domingo com Elias; Neguete; Klaus, Ruan Renato e Pará; Vacaria e Lucas (Bruninho); Wallacer, Roberson e Felipe Lima; Hugo Almeida.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.