Coluna do Pedro

Pedro Ernesto: "A dança das cadeiras dos técnicos não para"

Roger, Rogério Zimmermann e Pachequinho perderam o emprego

21/07/2017 - 07h01min | Atualizada em 21/07/2017 - 07h01min
Pedro Ernesto: "A dança das cadeiras dos técnicos não para" Reprodução/Reprodução
Foto: Reprodução / Reprodução  

Roger Machado foi demitido do Atlético-MG. Rogério Zimmermann, do Brasil-Pel. Pachequinho, do Coritiba. Isso só ontem. O futebol brasileiro demite treinadores todos os dias. Ruim ou bom? Depende. Por vezes melhora, em outras estraga mais ainda. O que se pode ver é que um treinador profissional precisa ter resultados imediatos. Ganham fortunas para treinar bem. Foi mal, está fora. Zimmermann ficou alguns anos no Xavante porque fez coisas maravilhosas. Mas a fadiga dos metais o pegou. Até dirigente ele conseguiu demitir. Isso, por óbvio, não se sustenta. Roger nunca conseguiu formar um time no Galo, mesmo que tenha recebido grandes jogadores. Caiu. Quando foi bem, ganhou salários estratosféricos. A banca paga e recebe.

Marcelo Oliveira

Ele está de volta ao Coritiba. Foi lá que Marcelo conseguiu sua aprovação nacional. Foi duas vezes finalista da Copa do Brasil. Foi para o Cruzeiro e se tornou bi campeão brasileiro. Fantástico. No Palmeiras, ganhou a Copa do Brasil, mas não confirmou sua competência. Foi para casa e só agora retorna. Vanderlei Luxemburgo amargou uma parada que o angustiava, mas voltou no Sport e faz grande trabalho. É a dança das cadeiras.

Tríplice coroa

Sei, é muito difícil, mas o Grêmio mostra força para ganhar os três campeonatos que disputa. Na Copa do Brasil, falta um "amistoso" contra o Furação e mais quatro jogos. Na Libertadores, um "amistoso" um pouco mais difícil e mais seis jogos. Olho os adversários e vejo o Grêmio jogando muito mais do que eles. O mais encrencado é o Brasileirão. Só que o time do Renato está jogando tanto que não duvido mais de nada..

Leia mais colunas de Pedro Ernesto


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.