Bagagem de respeito

Com ouro e bronze, medalhistas paraolímpicos gaúchos desembarcam em Porto Alegre

Ricardinho Alves, do futebol de cinco, e Alex Celente, do golbol, foram recepcionados por amigos e familiares

Por: Cristiel Gasparetto
20/09/2016 - 16h31min | Atualizada em 20/09/2016 - 18h02min

Os gaúchos medalhistas nos Jogos Paraolímpicos do Rio, Ricardinho Alves, do futebol de cinco, e Alex Celente, do golbol, desembarcaram na tarde desta terça-feira no aeroporto Salgado Filho. Eles foram recebidos por amigos e familiares.

O ouro conquistado no Rio foi o terceiro de Ricardinho, que já havia subido no lugar mais alto do pódio em Pequim 2008 e Londres 2012. Na decisão do último sábado, contra o Irã, o gaúcho nascido em Osório marcou o gol brasileiro na vitória por 1 a 0.

Leia mais:
Jogos Paraolímpicos se encerram com mensagem de igualdade e otimismo
Brasil bate recorde de medalhas, mas não cumpre meta de ficar entre os cinco melhores da Paraolimpíada
Rafael Nadal aparece em nova lista de exames antidoping vazada por hackers russos

— Para mim esse ouro foi especial pela lesão que tive (fraturou a fíbula e rompeu ligamentos). Havia dúvida se eu conseguiria me recuperar. Deus fez um milagre e fui agraciado com gol do título. Não tinha passado por uma experiência tão boa na minha carreira.

Morador do bairro Cavalhada, em Porto Alegre, Ricardinho foi escolhido duas vezes o melhor jogador do mundo. Quando tinha seis anos de idade, teve descolamento de retina nos dois olhos. Aos oito, após passar por várias cirurgias, perdeu totalmente a visão.

A outra medalha gaúcha foi o bronze de Alex Celente, no golbol.

— Volto realizado, orgulhoso. Por tudo o que a gente fez, não podíamos ficar fora do pódio — disse o atleta.

*ZHESPORTES

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.