Estatísticas

Como foi a temporada dos brasileiros na NBA

Lucas Bebê, Felício e Nenê Hilário tiveram bom rendimento

13/04/2017 - 11h00min | Atualizada em 13/04/2017 - 14h27min
Como foi a temporada dos brasileiros na NBA Mark Blinch / NBAE/Getty Images/AFP/NBAE/Getty Images/AFP
Bebê dobrou tempo de quadra e principais estatísticas na temporada Foto: Mark Blinch / NBAE/Getty Images/AFP / NBAE/Getty Images/AFP  

A temporada regular da NBA terminou nesta quarta-feira. Dos nove brasileiros que começaram o ano com equipes, Marcelinho Huertas e Anderson Varejão acabaram cortados. Os destaques foram Lucas Bebê e Cristiano Felício que, mesmo discretos por seus times, conseguiram se firmar com o aumento de minutos. Nenê também foi importante em alguns momentos de sua primeira temporada com o Houston Rockets.

Leia mais:

Boston Celtics garante melhor campanha do Leste na NBA
Duas décadas depois de Jordan, Bulls ainda é o time mais popular no Brasil
Stephen Curry e Warriors lideram vendas na NBA

Leandrinho Barbosa (Phoenix Suns)
Leandrinho teve números parecidos aos de sua temporada anterior, pelo Golden State Warriors. A diferença é que ele saiu do melhor time da Conferência Oeste para o pior. o Suns terminou com a segunda pior campanha de toda a NBA.

Jogos: 67
Jogos como titular: 0
Pontos: 6,3
Rebotes: 1,6
Assistências: 1,2
Tocos: 0,1
Roubadas de bola: 0,5
Turnovers: 0,7

Bruno Caboclo (Toronto Raptors)
Em sua terceira temporada na NBA, Caboclo segue com pouco destaque. Sua média de pontos era inferior a um por jogo até o último dia da temporada, quando ganhou mais minutos em quadra na vitória sobre o Cavaliers. Aos 21 anos, o ala ainda não conseguiu se firmar — por isso, passou boa parte da temporada no Raptors 905, da D-League.

Jogos: 9
Jogos como titular: 0
Pontos: 1,6
Rebotes: 1,1
Assistências: 0,4
Tocos: 0,1
Roubadas de bola: 0,2
Turnovers: 0,2

Cristiano Felício (Chicago Bulls)
Felício não chegou a ser um grande destaque, mas foi um jogador útil ao longo da temporada para o Bulls. Agora, ele terá a chance de disputar os playoffs.

Jogos: 66
Jogos como titular: 0
Pontos: 4,8
Rebotes: 4,7
Assistências: 0,6
Tocos: 0,3
Roubadas de bola: 0,4
Turnovers: 0,5

Marcelinho Huertas (Los Angeles Lakers)
Huertas havia jogado bem na primeira temporada, mas perdeu espaço no sistema de Luke Walton. Seus minutos caíram muito, ele acabou trocado para o Houston Rockets e foi cortado. Agora, está sem time e com futuro indefinido — há inclusive a possibilidade de ele retornar ao basquete europeu na próxima temporada.

Jogos: 23
Jogos como titular: 1
Pontos: 2,7
Rebotes: 1,0
Assistências: 2,3
Tocos: 0,1
Roubadas de bola: 0,4
Turnovers: 0,8

Nenê Hilário (Houston Rockets)
Nenê aproveitou bem a sua primeira temporada em Houston. Apesar dos números parecidos — e até um pouco inferiores — ao ano anterior pelo Washington Wizards, o pivô foi uma peça importante na rotação de um dos melhores times da NBA.

Jogos: 67
Jogos como titular: 8
Pontos: 9,1
Rebotes: 4,2
Assistências: 1,0
Tocos: 0,6
Roubadas de bola: 0,8
Turnovers: 1,1

Raulzinho Neto (Utah Jazz)
O Jazz cresceu, e Raul acabou perdendo espaço. Reserva, perdeu minutos e viu suas estatísticas caírem. No entanto, ainda é uma peça boa na rotação de Utah, que vai para os playoffs.

Jogos: 40
Jogos como titular: 0
Pontos: 2,5
Rebotes: 0,8
Assistências: 0,9
Tocos: 0,1
Roubadas de bola: 0,5
Turnovers: 0,4

Lucas Bebê (Toronto Raptors)
Bebê é o brasileiro que tem mais motivos para comemorar na temporada. Ele se firmou no Raptors, chegou a ser titular em seis jogos, viu seus minutos, pontos e rebotes dobrarem em relação ao ano anterior.

Jogos: 57
Jogos como titular: 6
Pontos: 4,4
Rebotes: 4,3
Assistências: 0,7
Tocos: 1,6
Roubadas de bola: 0,9
Turnovers: 0,8

Tiago Splitter (Philadelphia 76ers)
Splitter passou a maior parte da temporada se recuperando de lesões no quadril e na panturrilha. Trocado do Atlanta Hawks para o Philadelphia 76ers, fez oito jogos pelo novo time na reta final. Apareceu em poucos minutos e teve números discretos. Agora, é agente livre e precisará encontrar um novo destino para seguir na NBA.

Jogos: 8
Jogos como titular: 0
Pontos: 4,9
Rebotes: 2,8
Assistências: 0,5
Tocos: 0,1
Roubadas de bola: 0,1
Turnovers: 0,8

Anderson Varejão (Golden State Warriors)
Varejão é quem mais tem a lamentar depois da temporada. Ele optou pelo Warriors no ano passado para ter chances de ser campeão. Ficou com o vice e não conseguiu ter espaço. Neste ano, acabou cortado. Chegou a ser cotado para voltar ao Cavaliers, mas foi preterido. Seu futuro na NBA é incerto.

Jogos: 14
Jogos como titular: 1
Pontos: 1,3
Rebotes: 1,9
Assistências: 0,7
Tocos: 0,2
Roubadas de bola: 0,2
Turnovers: 0,6

*ZHESPORTES

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.