Versão mobile

Você concorda com a tese de que é possível fiscalizar as obras da Copa e evitar desvios de recursos públicos?

Enviar mensagem
  • SÉRGIO BERNARDO 

    Não existe a menor possibilidade de se evitar desvios em obras públicas no Brasil. O controle público é fraco e a interferência de políticos e do corporativismo impede qualquer chance controle.

    Gravataí - RS - Brasil20/04/2012 | 16:49
  • maria nogueira dos santos 

    No Brasil não se fiscaliza nada, só fazem de conta, pois a roubalheira é por toda parte e ninguém se mobiliza para por um fim nisso. Os maiores ladrões são os políticos e quem os fiscaliza? O povo? Nada disso, pois são eleitos e reeleitos por esse povo que reclama, mas toma atitude alguma e eles continuam enchendo o bolso com nosso dinheiro. Lá vem as obras da Copa e muita gente vai sair torta de tanto ROUBAR! Nós merecemos. É hora de acordar ou então...

    Butiá - RS - Brasil20/04/2012 | 15:07
  • Celso Magalhães Coronel 

    Ora, mas é claro que não! A enquete em sí, já é uma piada: - Consultar a opinião pública sobre o "Óbvio". Será que os senhores redatores não acompanham as ações dos políticos brasileiros? Que perguntinha...kkkkkkk

    Belém - PA - Brasil20/04/2012 | 14:07
  • John Soprana 

    Concordo que é possível. Porém com a legislação atual é IMPOSSÍVEL. É preciso mudar a constituição, assegurar a publicidade de TODOS os atos de servidores públicos eleitos, CCs e de carreira, mudar a forma de elaboração de leis, processos judiciários devem ser mais simples e curtos, nenhum crime pode prescrever, e a punição deve ser exemplar para desestimular os que ainda não cometeram crimes. E 100% dos crimes tem que ser punidos. Tem que haver pena de morte pra quem rouba ou desvia dinheiro público (se são todos honestos não há o que temer). O dinheiro só pode ser eletrônico e todos os impostos atuais devem ser abolidos, incidindo somente sobre qualquer transação financeira eletrônica. Então qualquer transação financeira de entidades públicas ficaria disponível para QUALUQER cidadão fiscalizar. Liberdade total para a imprensa e gravação e vídeos devem ser prova mesmo sem autorização judicial prévia. Assim, talvez seja possível.

    CANOAS - RS - Brasil20/04/2012 | 14:02
  • Natalia Almeida 

    Não concordo. Do jeito que a administração pública está atualmente estruturada no que diz respeito aos setores de compras e serviços, a verba que seria destinada à Copa estará acessível a muita gente. Lógico que, todos estes estão acostumados a tratarem o dinheiro público de uma forma não muito cuidadosa, como se não fossem eles também proprietários deste dinheiro. Um controle rigoroso apenas evita grandes desvios, mas o desleixo com o dinheiro público já é inerente aos servidores que contratam e aos fornecedores de órgãos públicos. Quem assistiu a reportagem do Fantástico, que polemizou a "ética do mercados das licitações" e ficou espantado de certo não trabalha ou convive com este meio. Infelizmente é a realidade. Pequenos valores de " não pega o que não é teu" estão em desuso.

    PORTO ALEGRE - RS - Brasil20/04/2012 | 13:47
  • Mario Osanai 

    Sim, é possível! Mas, a fiscalização sobre a utilização de recursos públicos e os consequentes desvios já deu provas de sua precariedade. Basta que observemos o que acontece com os recursos públicos da saúde, da educação, da segurança e de tantos outros setores importantes. Entendo que não restam dúvidas quanto à viabilidade e necessidade de tal fiscalização. Mas, preocupa a intenção e execução desta atividade, fundamental em TODOS os âmbitos de alocação dos recursos públicos. Se isso acontecer, o Brasil será curado pela Copa! Vamos torcer!

    Porto Alegre. - RS - Brasil20/04/2012 | 13:46
  • Renato Mendonça Pereira 

    Seria possível sim,mas falta o principal: o que não se corrompe.Em se tratando de obras,antes mesmo de iniciar começam as negociatas,favores,trocas,enfim todo tipo de desvios possíveis e o super faturamento onde todos ganham,menos o contribuinte,o que paga a conta

    Alvorada - RS - Brasil20/04/2012 | 13:04
  • Pedro Fernando Cirino Damin Damin 

    Concordo plenamente e acho que DEVE haver fiscalização. Por que não?

    Lagoa Vermelha - RS - Brasil20/04/2012 | 12:21
  • felipe Spuldaro 

    Concordo. Mas é preciso haver profissionais competentes, éticos, comprometidos, para não haver desvios de recursos públicos.

    Marau - RS - Brasil20/04/2012 | 10:28
  • Lino Abel Nunes 

    Concordo. É possível, mas muito difícil de fiscalizar. A transparência nos órgãos públicos ainda engatinha e, quando ocorre, as informações são divulgadas de forma incompleta ou sintética. Além disso, são muito poucos os que conhecem o rito de uma licitação, que é o que determina a aquisição de um produto ou serviço. Agrega-se a isso, ainda, a dificuldade na consecução de dados junto aos órgãos públicos, devido a morosidade e/ou burocracia. A atribuição de grande fiscalizador cabe ao parlamento, representante legítimo do povo, mas, aí, como bem informou o editorial, há a ganância individual de alguns agentes e os conchavos políticos, entre eles o que leva para a base de apoio dos chefes do executivo a maioria do parlamento. Mas não desistamos, pois é impossível falar-se em regime democrático sem o controle social.

    Porto Alegre - RS - Brasil20/04/2012 | 10:07
  • Marcus Vinícius Fernandes Machado 

    Concordo. Nós, como fiscalizadores de nosso sistema, possuímos ferramentas que possam interferir nestas irregularidades que existem, o que necessita acontecer é melhorar nossa cultura. Apesar de sermos um país novo (na idade em relação a outros), conscientizar-nos neste quesito é essencial.

    Porto Alegre - RS - Brasil20/04/2012 | 09:59
  • Paulo Sergio Fernandes Philomena 

    "Melhorar os controles". Certamente, concordo. Mas, como sempre ocorre, não parece ser o está acontecendo. Até onde se tem conhecimento, cifras de bilhões de reais, serão gastas, as quais até sabemos onde, porém não sabemos, exatamente, quanto, quando e como. O que nos levará para o mesmo caminho de sempre. Ou seja, um ano após a copa teremos a "pirotécnica" formação de uma CPI que, como sempre, chegará a lugar nenhum e enterrará, para o alívio dos envolvidos, o velho assunto - "onde foi parar o dinheiro que era do povo"? E, com a promessa de sempre, é claro - De agora em diante iremos "Melhorar os controles".

    Porto Alegre - RS - Brasil20/04/2012 | 09:01
  • Cláudio Fortes Carpes, Aposentado. 

    Nós vivemos a Era dos desvios. É andar pelas estradas e notar o quanto estão desviando. Quanto arrecadam para melhorar as vias? Agora vem obras da Copa, quem vai fiscalizar quem? Quem recebe recursos? Quem fiscaliza? Se Políticos fazem o papel de Políciais, quem faz o papel de fiscalizador, Eles mesmos? Aí não há controle, e sim abertura para que se continue os desvios. E o povo, ganhando uma merreca! E o salário dos que arriscam as Vidas?...

    Montenegro - RS - Brasil20/04/2012 | 00:14
  • paulo sergio leite chicuta 

    fiscalizar sim , evitar desvio não ,porque quem vai julgar depois faz parte da quadrilha.

    tramandai - RS - Brasil19/04/2012 | 22:03
  • Décio Antônio Damin 

    Concordo com a tese! Daí a fazer com que aquí as coisas aconteçam assim é que parece inalcançável! A "transparência" é panacéia utópica que só revela as irregularidades quando os grupos de interesses entram em choque.Execração pública, perda de direitos políticos, restituição de valores e responsabilização penal é o que nos fará,novamente, acreditar que é possível e vale a pena ser honesto!

    Porto Alegre - RS - Brasil19/04/2012 | 22:03
  • luiz bavaresco 

    Não tem como fiscalizar,a distribuição da propina já vem encomendada lá de cima.Seríamos ingênuos imaginar que tamanho empenho,tanta vontade em ter a copa no Brasil,na ótica dos políticos mandantes,não fosse a oportunidade de se lambuzar no erário.O q esperar de um pais onde o Senado consome R$ 3.3 bilhões dos nossos impostos por ano sem q ninguém se dê conta ou combata, exatamente porque os três poderes constituídos,na verdade, é uma máquina só,a mais sórdida no mundo.

    nova prata - RS - Brasil19/04/2012 | 20:51
  • João Paiva de Oliveira 

    Discordo. Se as obras fossem realizadas com um cronograma que permitisse ´tempo´, seria mais fácil, mas certamente os atrasos são propositais para que os custos sejam maiores, e neles, embutidos os ´desvios´.

    POA - RS - Brasil19/04/2012 | 20:25
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.