Versão mobile

RS é o Estado brasileiro com maior incidência de raios ultravioleta

Cuidados durante o veraneio deve ser redobrado

09/01/2008 | 14h13
O levantamento do Centro de Previsão do Tempo e Pesquisas Climáticas (CPTEC) indica que a incidência de raios ultravioleta (UV) no Rio Grande do Sul oscila entre a pontuação 11 e 14, o que representa extrema exposição, conforme a escala determinada pelo centro. O litoral gaúcho, por exemplo, é uma das áreas mais afetadas. A escala de medição varia de um a 14 pontos.

De 1 a 2, a exposição é considerada baixa, de 3 a 5 moderada, de 6 a 8 alta, de 9 a dez muito alta e de 11 em diante extrema. O nível é medido de acordo com a concentração de ozônio, altitude da localidade, horário do dia e condições atmosféricas. A pesquisadora do CPTEC, Simone Marilene da Costa, explica as razões para o número elevado aqui no Estado.

Os riscos para aqueles que se expõe em excesso à radiação ultra-violeta são grandes. O professor da Faculdade de Medicina da PUC, e dermatologista do Hospital São Lucas, Sérgio Célia, recomenda cuidados extras durante o período de veraneio. Com a proteção da camada de ozônio enfraquecida, os raios UV podem causar queimaduras, fotoalergias, envelhecimento cutâneo e até câncer de pele.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.