Versão mobile

Professor Édison de Oliveira é enterrado em Porto Alegre

Ele morreu na terça-feira, aos 73 anos, de insuficiência cardíaca

05/03/2008 - 13h09min
Professor Édison de Oliveira é enterrado em Porto Alegre Reprodução/
Édison atuou por 35 anos ensinando português e redação na PUCRS Foto: Reprodução  
O professor de português Édison de Oliveira foi enterrado às 10h30min desta quarta-feira no Cemitério Jardim da Paz. Ele morreu ontem, em Porto Alegre, aos 73 anos, por insuficiência cardíaca, e foi velado na Capela A do cemitério desde as 21h.

Com o título de Professor Emérito do Rio Grande do Sul, Édison atuou por 35 anos ensinando português e redação na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e nos principais cursos pré-vestibulares de Porto Alegre. Em 1976, criou o Centro Permanente de Português, voltado para o ensino da redação, dos conteúdos gramaticais e da interpretação de textos. O professor era o responsável pela metodologia e pelo material didático utilizados no local.

Édison escreveu oito livros didáticos, entre eles Todo o Mundo tem Dúvida, Inclusive Você, com mais de 200 mil exemplares vendidos em todo o Brasil, A Comunicação Através de Palavras, Escreva Certo e O Hífen e Outras Dúvidas.

Também foi colaborador dos meios de comunicação, como autor de duas colunas diárias de Língua Portuguesa, nos jornais Zero Hora, durante o ano de 1974, e Folha da Tarde, em 1976. Apresentou ainda programas de televisão e participou de vários outros no rádio. Atualmente, suas dicas em parceria com a professora Maria Elyse Bernd, do Centro Permanente de Português, são publicadas todas as sextas-feiras no Diário Gaúcho.

Deixa a mulher, Lorena Garcia de Oliveira, e um filho, Rogério.
 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.