Versão mobile

Manifestação de estudantes termina em tumulto no centro de Porto Alegre

Policiais militares algemaram pelo menos oito manifestantes

Atualizada em 27/01/2009 | 22h5027/01/2009 | 20h13
Manifestação de estudantes termina em tumulto no centro de Porto Alegre Débora Birck, Especial/
Estudante é detido por policiais durante a manifestação Foto: zerohora.comgaleria de fotos

Uma manifestação de estudantes de diversas instituições de ensino resultou em tumulto no centro da Capital na tarde desta terça-feira. Munido de bandeiras e cartazes, o grupo organizou uma caminhada em protesto contra o aumento previsto nas passagens de ônibus de Porto Alegre. Os estudantes subiam a Esquina Democrática e ingressavam na Avenida Salgado Filho quando receberam a escolta da Brigada Militar.

Em pouco segundos, os policiais cercaram o grupo e tentaram dispersar os manifestantes, que continuaram na avenida, dando início a um confronto. Dezenas de policiais reprimiram os estudantes mais exaltados. Oito manifestantes foram algemados e levados para o 9º Batalhão da Polícia Militar.

Lá, tiveram de assinar um termo circunstanciado por lesão corporal, desacato e desobediência. O confronto resultou em oito estudantes feridos e cinco policiais com lesões leves. Todos foram encaminhados para o Hospital de Pronto Socorro e liberados ainda na noite desta terça-feira.

A estudante da PUCRS Carina Kunze, 20 anos, uma das manifestantes detidas, reclama da truculência dos policiais. 

— Eles chegaram batendo. Nunca tinha visto nada parecido. Me derrubaram no chão e me algemaram com muita força. Tive amigos que ficaram bastante machucados. Eles bateram com vontade — diz.

De acordo com a presidente do Grêmio Estudantil do Colégio Julio de Castilhos, Ludimilla Fagundes, a reação dos policiais contrastou com o clima pacífico da manifestação: 

— Não havia motivo para tanta violência. Queremos o congelamento das passagens e não policiais nos agredindo em plena via pública.

De acordo com o major Alfeu Freitas, comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar, a utilização da força por parte dos policiais visou evitar transtornos no trânsito da Capital. 

— Nós pedimos verbalmente para que eles liberassem a via, mas não fomos atendidos. Nossa função é restabelecer a ordem pública e foi isso que fizemos. Infelizmente fomos obrigados e utilizar força moderada para cumprir com nosso papel — relata.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.