Versão mobile

Dor na virilha pode se transformar em doença crônica se não for tratada corretamente

Pubalgia – uma inflamação na região do púbis – muitas vezes não é diagnosticada nem comentada

17/07/2010 | 11h30
Dor na virilha pode se transformar em doença crônica se não for tratada corretamente  Fabrice Coffrini, AFP /
Kaká quase ficou fora da Copa do Mundo devido aos sintomas da pubalgia Foto: Fabrice Coffrini, AFP
Começa com uma dor na região da virilha, nas coxas, às vezes fraca e não muito bem definida. Com o tempo, se não tratada, pode se tornar uma doença crônica. Por causa dessa característica, a pubalgia – uma inflamação na região do púbis – muitas vezes não é diagnosticada nem comentada. Mas a dor provocada pela doença restringe movimentos. O jogador Kaká, por exemplo, quase ficou fora da Copa do Mundo devido aos sintomas da pubalgia.

No início, ela pode ser confundida com uma simples dor muscular. Depois, pode ainda ocorrer o diagnóstico de hérnia inguinal (hérnias que ocorrem na região da virilha), infecção urinária e fratura. Isso acontece porque quando a lesão é leve não há grandes alterações visíveis em um exame de raio X.

Em qualquer um dos casos, quanto antes o problema for detectado, melhor e mais rápida deverá ser a recuperação do paciente.

– Em mais de 90% dos casos, o tratamento é clínico. Normalmente, medicação e fisioterapia resolvem – diz Rogério Naim Sawaia, ortopedista do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Quando se trata de uma situação de mais gravidade, porém, pode ser necessário fazer uma cirurgia para correção da inflamação.

De acordo com o médico, a pubalgia pode ocorrer, por exemplo, em mulheres grávidas, mas é mais frequente em homens e, especialmente, em atletas. Isso porque eles são submetidos a uma carga de treinamento e a um excesso de impacto na região.

– Há um desbalanço muscular. No caso do jogador de futebol, por exemplo, como ele chuta mais com uma das pernas, acaba fortalecendo mais esses músculos, o que provoca o desbalanço – explica Sawaia.

Verdade ou mentira?

É POSSÍVEL PREVENIR A PUBALGIA COM ALONGAMENTOS.

Verdade. Segundo especialistas, embora não haja garantia de que a lesão não aparecerá, acompanhamento profissional e preparo físico adequado, com bastante alongamento, ajudam na prevenção.

HÁ CURA PARA O PROBLEMA.

Verdade. Os médicos dizem que a pubalgia não é necessariamente um problema crônico. O paciente pode ter a lesão uma vez, fazer o tratamento adequado e não voltar a sentir dores.

APENAS HOMENS SÃO AFETADOS PELA PUBALGIA.

Mentira. Os homens, especialmente os atletas, formam a maioria dos pacientes, mas as mulheres, principalmente as gestantes, também podem ter pubalgia.

O TRATAMENTO É LONGO E COMPLICADO.

Mentira. Quando a pubalgia é diagnosticada no início, o tratamento pode ser rápido, feito em semanas, com medicação e fisioterapia. Em caso de lesões graves, é feita cirurgia, mas logo o paciente pode voltar a suas atividades.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.