Versão mobile

Destino sustentável

Prefeitura anuncia novo modelo de coleta que transformará lixo em energia na Capital

Edital foi assinado durante anúncio do balanço das ações da prefeitura em 2011

Atualizada em 28/12/2011 | 14h1828/12/2011 | 11h13
O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, anunciou oficialmente, nesta quarta-feira, durante balanço da gestão no Salão Nobre do Paço Municipal, a mudança no modelo de destino do lixo orgânico na Capital. Com a nova forma de tratamento, os resíduos devem ser transformados em energia, seguindo modelo de grandes cidades, como Amsterdã.

O prazo para manifestação de interesse para o sistema, de 60 dias, foi aberto hoje, com a assinatura do edital. A ideia é passar a processar o lixo na Capital, em vez de enviá-lo ao aterro de Minas do Leão.

Diariamente, Porto Alegre produz 1,5 mil toneladas de lixo. O transporte até Minas do Leão envolve 20 carretas que cobrem 17,6 mil quilômetros por dia, o que é oneroso para o município porque, além de pagar pelo deslocamento, tem de desembolsar para ter o direito de usar o aterro.

— Atualmente, o transporte desta quantidade de lixo que é feito por caminhões pode se tornar um desastre, caso venha a ocorrer um acidente. Queremos dar destinação aos resíduos já em Porto Alegre e tratar isso de forma mais sustentável. A energia que será gerada poderá ser usada pela própria cidade — afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha.

A construção da central (ou centrais) deverá ser por meio das Parcerias Público Privadas.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.
Imprimir