Versão mobile

Nariz em desalinho

Desvio de septo nem sempre precisa ser operado

Congestão nasal, infecções nos seios paranasais, dor facial, cefaleia e predisposição a rinites e sinusites são alguns dos sintomas

29/02/2012 | 06h30
Desvio de septo nem sempre precisa ser operado Andres Rodriguez/Deposit Photos
Cerca de 80% das pessoas tem um pequeno desvio natural de septo Foto: Andres Rodriguez / Deposit Photos

O desvio do septo é um incômodo que pode causar diversos desconfortos, como dificuldade respiratória, dor de cabeça, espirros constantes e congestionamento nasal. O septo nasal é a parede que separa o lado esquerdo do lado direito do nariz. É uma estrutura firme, porém flexível, coberta por mucosa e rica em vasos sanguíneos. O ideal é que ele localize-se no meio, de forma que os lados do nariz sejam iguais.

Cerca de 80% das pessoas tem um pequeno desvio natural, quase imperceptível, que deixa o nariz desalinhado, além de alterar o padrão de corrente de ar, podendo bloquear o lado estreitado. Em alguns casos, a abertura dos seios paranasais pode ficar bloqueada, facilitando a sinusite, além de deixar a pele do septo do nariz seca e rachada, provocando hemorragias.

As causas do desvio de septo podem ser durante a formação do nariz na gestação, uma lesão nasal durante o parto ou com o avançar da idade, além de traumas e contusões. Entre os principais sintomas, estão a congestão nasal, infecções nos seios paranasais, dor facial, cefaleia e predisposição a rinites e sinusites. A respiração ruidosa durante o sono, principalmente em crianças e bebês, respiração bucal frequente, cansaço, dificuldades para dormir e roncos também são frequentes.

Segundo o otorrinolaringologista do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André, Marcelo Alfredo, algumas pessoas com desvio de septo só percebem os sintomas durante um resfriado ou outra infecção das vias respiratórias.

— Nestas pessoas, a infecção respiratória faz com que os tecidos do nariz inchem causando problemas de fluxo de ar. Assim que o resfriado é curado, os sintomas também desaparecem — explica Alfredo.

O otorrinolaringologista Rafael Malinsky explica, de forma didática, como é o desvio:

— Imagine que o septo nasal é o canteiro central da freeway, que divide a rodovia em duas metades iguais. Com o desvio septal, é como se tivéssemos um carro colocado perpendicularmente em uma das rodovias: ele acabará diminuindo o fluxo de carros.

Segundo Malinsky, se a pessoa tem o problema, isso não quer dizer que ela não irá respirar bem nem que ela tenha que realizar cirurgia. Somente um especialista, segundo ele, é capaz de diagnosticar com precisão a patologia.

— Muitas pessoas possuem o desvio e repiram muito bem. A correção é feita através de uma cirurgia chamada de septoplastia, que só indicamos se há certeza que é o desvio septal que está causando a obstrução nasal, pois outras doenças, como rinites e sinusites, também podem levar a queixa de nariz obstruído — salienta o especialista.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.