Versão mobile

Polêmica na Ciência

Um Einstein no cadeião

Comunidade científica se mobiliza em defesa de físico alemão preso em Santa Catarina

Por: Gabriela Rovai
25/11/2012 - 16h36min

Representantes da comunidade científica internacional estão mobilizados em defesa do autor de teorias que eles consideram revolucionárias na Física moderna, mas que está preso em Santa Catarina.

Entre as tecnologias, uma que poderá permitir a exploração do pré-sal sem precisar perfurar o subsolo ou um modelo de GPS baseado nas estrelas. Na avaliação de seus aliados, é como se Albert Einstein estivesse no Cadeião do Estreito.

O professor e cientista alemão Hartmut Müller, 58 anos ganhou até apelido dos sete presos que dividem com ele a cela de nove metros quadrados, na Central de Triagem do Estreito, em Florianópolis. Por ser o mais velho, é chamado de pai.

Müller está preso desde o dia 23 de outubro por meio de mandado de prisão preventiva com fins de extradição expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido do governo alemão. Foi condenado pelo Tribunal de Dresden por fraude, em sentença divulgada em fevereiro deste ano, um mês depois de vir para o Brasil. O STF ainda não tem data para analisar o processo de extradição número EXT 1293.

Cientistas, médicos, engenheiros, pesquisadores da Nasa, da Agência Espacial Europeia, Academia para o Futuro da Ciência, Academia Russa de Ciência e de outros institutos, universidades, consultórios e empresas no Brasil, Itália, Alemanha, entre outros países, vêm se mobilizando a favor da liberdade e contra a extradição de Hartmut Müller.

A mobilização acontece por meio de cartas e assinaturas na petição pública endereçada a presidente Dilma Roussef. A petição está disponível no link: http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N31995.

_ Tal acusação contra Hartmut Müller é totalmente descabida e será desmascarada ao mundo que as tecnologias desenvolvidas são verdadeiramente uma revolução na nova Física Moderna (...). Albert Einstein dedicou sua vida em benefício da ciência. Assim vinha fazendo Hartmut Muller, que agora está sendo injustiçado pela justiça Alemã. (...) Podemos reunir os esforços para o bem da ciência e da humanidade, assim como fez Einstein _ dizem, na petição pública, seus defensores que pedem clemência e apoio ao governo brasileiro, em prol da ciência e da soberania e riqueza nacionais que seriam obtidas com uma das tecnologias desenvolvidas por Müller.

A comunidade que o defende, assim como o próprio Müller, acreditam que o cientista foi vítima de perseguição política pelas "grandes descobertas" que fez, as quais bateriam de frente contra grandes laboratórios e empresas. O Consulado Geral da Alemanha informou que "em consideração ao direito de proteção de dados da pessoa, não podemos fornecer informações sobre o cidadão ou sobre o caso".

Há um blog sobre Müller no: http://supporthartmutmuller.blogspot.com.br

Projetos dão base à defesa

É no escritório com vista cinematográfica para a Baía Norte, o segundo maior de SC, que trabalham os defensores de Hartmut Müller. Entre os advogados habilitados em atender casos em cinco idiomas, estão André Lupi e Giancarlo Castelan, contratados pelo empresário gaúcho, engenheiro Claudio Salgado para defender seu amigo alemão.

É em nome da empresa de Salgado que está a cobertura na Lagoa da Conceição, onde o professor morava com sua companheira, uma médica italiana, até ser preso pela Interpol. No dia, os agentes estavam sem uniforme e os vizinhos acharam que Müller estava sendo sequestrado. A PM quase fechou a ponte antes de descobrir a confusão.

_ Eu conheço as tecnologias revolucionárias da Física Quântica que podem proporcionar a nova ciência. É o caso de sistemas desenvolvidos pelo professor e patenteados no Brasil. Hartmut é um pesquisador sério. Ele é um gênio _ observou Salgado.

O cientista foi interrogado pela Justiça Federal no dia 20, em Florianópolis. Os advogados tem até 30 de novembro para apresentar a defesa. Questionarão os requisitos do pedido de extradição. Não há tratado entre os dois países. O que ocorreu foi um acordo bilateral.

A defesa crê também que não há sustentação na legislação alemã para a decretação da prisão preventiva, uma vez que o único argumento é que o professor não estava mais em seu país quando saiu a sentença. Correlação entre os dois tipos penais dos respectivos países também compõe a linha de defesa.

Os advogados observam que a Corte Superior alemã ainda vai se manifestar sobre a revisão (recurso). Por enquanto, não há decisão definitiva imputando ao professor, definitivamente, a prática de crime.

A defesa diz que Müller é inocente e não tem nenhuma responsabilidade sobre a suposta fraude que teria sido cometida pela empresa GSDI e que teria causado prejuízo de 1,7 milhão de euros aos 70 investidores da GSDI cujos sócios foram processados. A defesa diz que Müller acabou se tornando réu no processo em que entrou como testemunha.

Por enquanto, o cientista continua sem banho de sol nem ar fresco na cadeia, uma das mais superlotadas de SC, onde estão autores de todos os tipos de crime, origem e nível social. Ele só pode ver o sol e o céu uma vez por semana. Disse que é bem tratado, mas que nenhuma carta enviada a amigos chegou ao seu destino.

Hartmut Müller falou que o ambiente é de disciplina e respeito entre ele, os traficantes e os ladrões que dividem a cela. Um deles possui claustrofobia e um dos presos que o ajudam a ficar mais tranquilo é o criador do GPS baseado nas estrelas.

Quatro tecnologias desenvolvidas pelo cientista

Proto-Ressonância _ Capaz de acelerar o nível bioquímico da mitocôndria, proporcionando cicatrizações rápidas, regeneração celular, entre outras possibilidades. Este aparelho trabalha com frequência específica para cada parte do corpo e bate de frente com grandes laboratórios.

Prospecção Mineral_ Tecnologia para descobrir reservas minerais como petróleo sem qualquer perfuração no subsolo terrestre e sem prejuízo aos reservatórios dos aquíferos. Atua até 14 quilômetros de profundidade. Pode ser utilizada na exploração do pré-sal, que está a cerca de 7,5 quilômetros de profundidade. Trará soberania e riqueza ao país. Patenteado no Brasil.

Posicionamento Global_Funciona tal como o atual GPS, mas sem a necessidade de satélites, pois se baseia pela energia das estrelas para seu posicionamento. Funciona sobre a água, dentro de túneis, com precisão acima das tecnologias que utilizam satélites como geo referenciamento. Por não usar altas frequências, não prejudica a saúde de humanos e animais. Desagrada inúmeras companhias que investiram muito dinheiro na tecnologia atual. Patenteado no Brasil.

Gerador de chaves de segurança_Baseada na Física Quântica, é capaz de gerar simultaneamente duas chaves de segurança em tempo zero, em qualquer distância, por computadores que não estão conectados na internet, mas se comunicam entre si. É a única tecnologia que protegerá bilhões de pessoas com fraudes na internet. Pode ser usada para transferência de dados com 100% de segurança em diversas áreas como segurança pública, bancos, saúde etc.

Fonte: Petição pública em favor de Hartmut Müller, empresário Claudio Salgado e professor Hartmut Müller.

Quem é o professor:

Hartmut Müller, 58 anos
Formação: PhD em Engenharia da Ciência, na Rússia. Formado em Matemática e Física. Ganhou a medalha do mérito da Academia de Ciências Naturais. Recebeu a maior condecoração concedida pelo governo Russo a um cientista não russo.
Histórico: Em 2006 foi contratado pela empresa GSDI (do Chipre) para desenvolver o gerador de chaves de segurança por 250 mil euros. Entregou em 2007.
Condenação: por fraudar 70 investidores que alegam prejuízo de 1,7 milhão de euros.
Vinda para o Brasil: janeiro de 2012
Sentença: em 10 de fevereiro de 2012, a 4 anos e 5 meses de cadeia.
Recurso: deu entrada em 14 de junho de 2012 e está sendo apreciado pela Corte Superior alemã
Prisão: 23 de outubro, em Florianópolis.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.