Versão mobile

Hóspedes especiais

Criadouro Conservacionista São Braz, em Santa Maria, recebe filhotes de gato-maracajá

Felinos parecem domésticos, mas são silvestres

24/09/2013 | 20h18
Criadouro Conservacionista São Braz, em Santa Maria, recebe filhotes de gato-maracajá /Agencia RBS
Espécie é facilmente encontrada no Rio Grande do Sul Foto: Agencia RBS

O Criadouro Conservacionista São Braz está abrigando dois gatos-maracajá, popularmente chamados de gato-do-mato. Eles devem permanecer em um local especial até que possam ser devolvidos à natureza ou encaminhados a outro criadouro do Estado.

Os gatos foram encaminhados ao local por órgãos fiscalizadores da fauna. O menor foi recolhido pelo Ibama de Santa Maria no município de Estância Velha e tem cerca de dois meses e meio. O maior foi capturado na rua, em São Gabriel, e levado até o Batalhão Ambiental da cidade.

No criadouro, eles estão sendo cuidados e mantidos em um local especial, com acesso apenas de funcionários.

FICHA TÉCNICA

Gato-do-mato maracajá

Nome científico: Leopardus wiedii

Peso: Cerca de 3,5 kg

Tamanho: Comprimento de cerca de 50cm e cauda longa, em geral maior que a metade do comprimento do corpo, com 35cm em média

Expectativa de vida: 13 anos

Alimentação: Carnívora. Alimentam-se comumente de pequenos mamíferos (terrestres ou arbóreos), aves e, eventualmente, répteis e mamíferos de médio porte

Características: Olhos grandes, focinho saliente e patas grandes. A coloração pode variar entre amarelo-acinzentado e castanho com manchas. Adaptados à vida arbórea _ tem a habilidade de caminhar nas pontas dos galhos das árvores e arbustos, fato que aumenta a sua capacidade de caça às aves. Além disto, e em função de suas pernas traseiras muito flexíveis, ele consegue uma rotação de até 180°, tem grande capacidade de salto, e não é raro vê-lo apanhar aves em pelo vôo. Apesar de ser uma espécie ameaçada de extinção, ainda é bastante encontrada no Rio Grande do Sul, principalmente nas matas da Serra Geral

Habitat: Planícies costeiras do México até o norte do Uruguai e Argentina, e em todo o Brasil, até o norte do Rio Grande do Sul

Reprodução: A fêmea entra no cio por volta de 6 a 10 meses. Geralmente, nasce apenas um filhote. O período de gestação é de aproximadamente 83 dias

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.