Versão mobile

Efeito cascata

Após comissão americana, órgão brasileiro também bane uso do TRT

Diretor médico da CABMMA revela que proibição no Brasil já vinha sendo discutida

28/02/2014 | 15h39
Após comissão americana, órgão brasileiro também bane uso do TRT Rodrigo Philipps/Agencia RBS
Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

Ao que tudo indica, o TRT deve mesmo acabar sendo totalmente banido do MMA. Após a Comissão Atlética de Nevada (NSAC) resolver proibir o uso do tratamento, agora foi a vez da Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA) também banir a terapia no Brasil.

De acordo com o diretor médico da comissão brasileira, Marcio Tannure, a entidade já estava pensando em banir o TRT, e a atitude da Comissão de Nevada serviu para consolidar a decisão.

— Nós já vínhamos discutindo isso aqui na Comissão Atlética Brasileira há algum tempo. E como nós usamos a Comissão Atlética de Nevada como espelho, nós decidimos tomar a mesma decisão aqui no Brasil e não vamos mais liberar o uso de TRT para nenhum atleta — revelou Tannure, em entrevista ao canal "SporTV".

A NSAC anunciou o banimento do uso de TRT em seu estado na última quinta-feira. A tendência é que outras comissões tomem a mesma decisão. Após a proibição do uso do tratamento em Las Vegas, onde Vitor Belfort enfrentaria Chris Weidman, no dia 24 de maio, o brasileiro resolveu desistir do confronto, e Lyoto Machida foi chamado para substituí-lo e encarar o americano pelo cinturão dos médios.

Notícias Relacionadas

Proibido em Vegas 28/02/2014 | 11h29

A polêmica da TRT no MMA: conheça as razões da utilização e proibição da terapia

Belfort, que faz o tratamento, saiu da luta contra Weidman após proibição no estado de Nevada

Mudou 28/02/2014 | 07h42

Com TRT proibida em Nevada, Vitor Belfort sai de luta e Lyoto Machida disputa cinturão contra Chris Weidman

Lyoto Machida fará a sua terceira luta entre os médios na disputa de cinturão

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.