Versão mobile

Turnê brasileira

Especialistas apontam por que Guns N' Roses entrou para a história do rock

Em abril estreia "Appetite for Democracy", gravação em 3D do show feito em Las Vegas

31/03/2014 | 10h31
Especialistas apontam por que Guns N' Roses entrou para a história do rock Félix Zucco/Agencia RBS
Axl Rose se apresentou com a banda neste domingo, 30, em Curitiba Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Algumas bandas entraram para a história por terem composto verdadeiros hinos do rock. Ao lado de clássicos como Born to Be Wild, de Sttepenwolf, e Rock and Roll all Nite, do Kiss, está Sweet Child o' Mine, do Guns N' Roses. É a música mais conhecida da banda e está no primeiro álbum do grupo, lançado em 1987, o Appetite for Destruction, que tem outros hits como Welcome to the Jungle e Paradise City.

Essas composições são o maior legado do grupo – que faz show em Florianópolis amanhã, no Devassa on Stage – segundo o voice coach Fernando Zimmerman:

— Apesar de Sweet Child o' Mine ser uma música extremamente batida e ter se tornado um verdadeiro clichê das bandas que tocam rock'n'roll, ela é fantástica. Tem tudo o que uma boa canção de rock precisa: riff marcante, vocal agressivo, solos de guitarra que acompanhamos nos dedos junto com o guitarrista e, claro, muita pegada.

::: Cinco coisas que você deve saber sobre um show do Guns N' Roses
::: Cinco músicas que você deveria conhecer da banda, mas não conhece

Com essa fórmula, o sucesso foi praticamente imediato, e o som do Guns chegou a todos os cantos do mundo. Apenas nos Estados Unidos foram vendidas 18 milhões de cópias do álbum debutante, segundo a Associação da Indústria de Gravação da América (RIAA, na sigla em inglês).

O motivo para a fama explosiva, na opinião do músico Marcio "Galináceo" Passeggio, é a recusa à androginia do glam rock e o retorno à transgressão.

— Eles resgataram o que o rock tinha de legal, que era aquela coisa de sujo, de bêbado, cabelo comprido sem lavar, roupa de couro. Essas coisas tinham morrido. Fora isso, tem essa atitude mais rock'n'roll, influenciada por Aerosmith, AC/DC e algumas outras bandas de southern rock.

Para o cantor, que fez cover da banda no início da década de 1990, foi a postura de resgatar o que era o "rock de verdade" que fez o Guns ser reconhecido no mundo inteiro.

— Aí você tem um band leader como o Axl Rose: bonito, talentoso e bad boy! Ingredientes para todo mundo enlouquecer — completa.

Mesmo sem a formação original – com a saída do baixista Duff e os guitarristas Slash e Izzy –, o grupo lançou um disco com os novos integrantes em 2008, o Chinese Democracy. Atualmente Axl Rose se prepara para lançar o registro de um show ao vivo – o primeiro desde 1992, quando foi gravado Use Your Illusion II. A apresentação foi filmada em 2012, em Las Vegas, e celebra os 25 anos do primeiro álbum e quatro do último, o que resultou no nome híbrido Appetite for Democracy. Com estreia prevista para 3 de abril no Reino Unido, o filme em 3D ainda não tem data para ser lançado no Brasil.

Ariel Coelho, professor de técnica vocal aplicada ao rock, assiste a várias apresentações da banda para aprimorar seus conhecimentos. Segundo ele, o Guns N' Roses imprimiu um ritmo diferenciado em termos de performance, e Axl Rose, com todas as suas características de personalidade vocal e psicológica, deixou um marco na história do rock. O reflexo dessa grandeza, explica ele, pode ser exemplificada com o fato de não se encontrar atualmente muitos covers da banda com boa qualidade.

E apesar de não ter a mesma energia performática de antes, Axl ainda se reinventa para seus fãs, conforme Ariel:

— Um dos momentos altos dos shows tem sido exatamente essa luta constante de querer mostrar que ele ainda consegue. Quem gosta da banda, respeita isso.


Guns N' Roses em sua formação clássica com Izzy Stradlin, Steve Adler, Axl Rose, Duff McKagan e Slash
Foto: Divulgação

O que representa o falsete de Axl Rose e o que ele mudou no rock?
Atuo como voice coach há alguns anos e posso afirmar que o que o Axl faz não é falsete. Mas é inegável que os ajustes anatômico-fisiológicos feitos são um grande diferencial. É um vocal agudo, rasgado e com o que chamamos na técnica vocal de muito "metal" (uma característica para vocais com bastante brilho). Houve, antes de Axl, muitos outros que cantavam agudo e rasgado. Robert Plant, do lendário Led Zeppelin, talvez seja o grande precursor dessa característica. O que Axl fez foi resgatar e modernizar (para a época) essa abordagem e uni-la a um comportamento típico de um rock star: polêmico, transgressor e, muitas vezes, agressivo. Seria pretensioso afirmar que seu vocal mudou a história do rock, mas certamente influenciou (e ainda influencia) muitos cantores e cantoras.

Fernando Zimmerman, voice coach/preparador vocal do Full Voice Studios, de Florianópolis

O que a saída de Slash representou para o Guns?
Axl e Slash viraram inimigos, o que foi uma coisa estranha e inexplicável, porque ninguém sabe o que aconteceu. Axl estava ficando cada vez mais Elton John, e Slash queria uma coisa mais rock pesado. Do que o Slash produziu depois do Guns não recomendo quase nada, já o Axl fez bons trabalhos, o Chinese Democracy tem boas músicas. Eu não acho que foi incompatibilidade de estilo. O problema foi uma coisa mais pessoal mesmo.

Marcio "Galináceo" Passeggio, músico da banda Kill All the Superstars e publicitário

Como fazer cover de um ícone?
Por meio de muito treino e ginástica, a gente vai buscando os drives que ele usava e estudando suas performances corporais. Axl Rose usava um conjunto de técnicas bem arrojadas. A probabilidade é que tenha desenvolvido isso em um processo normal de empiria, algumas características de timbres de country americano e influências de AC/DC.

Ariel Coelho, vocalista da Coda Classic Rock e coordenador do Curso Livre de Técnica Vocal Aplicada ao Rock e do Instituto Rock Voice, de Florianópolis

Confira o vídeo de um fã feito no show em Curitiba neste domingo



Workshop


Para os músicos e fãs de plantão: aproveitando a passagem do Guns N' Roses por Florianópolis, o guitarrista Ron "Bubblefoot" Thal ministrará um workshop hoje à noite. O evento é realizado pelo GTR Instituto de Música e ocorrerá a partir 20h30 na sede da escola (Rua Tenente Silveira, 456, Centro). São 70 vagas. As inscrições custam R$ 80 e devem ser feitas no local. Informações: (48) 3024-0800.

Agende-se
O quê: show do Guns N' Roses
Quando: amanhã. Os portões serão abertos às 18h. Show de abertura com a banda Brazilian Sound Club
Onde: Devassa On Stage (Rod. Maurício Sirotsky Sobrinho, 2.500, Jurerê, Florianópolis)
Quanto: R$ 250 (2º lote – pista), à venda no Blueticket. Clube do Assinante tem 50% de desconto para pista. Valores sujeitos a alteração.

Notícias Relacionadas

Guns em Floripa 30/03/2014 | 15h05

Cinco coisas que você deve saber sobre um show do Guns N' Roses

Jornalista e fã incondicional, Rodrigo Adams apresenta curiosidades sobre a banda que se apresenta terça-feira em Floripa

Guns em Floripa 30/03/2014 | 14h53

Aquecimento Guns N' Roses: cinco músicas que você deveria conhecer, mas não conhece

Jornalista e fã incondicional, Rodrigo Adams apresenta curisiodades sobre a banda que se apresenta nesta terça-feira em Floripa

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.