Versão mobile

Um enredo de promessas na Capital

Licitação das arquibancadas fixas no Porto Seco deve ser lançada no primeiro semestre

Encerrada a festa, o prefeito José Fortunati reacendeu a esperança dos foliões

22/03/2014 | 10h30
Licitação das arquibancadas fixas no Porto Seco deve ser lançada no primeiro semestre Lívia Stumpf/Agencia RBS
Após diversas promessas, área de desfile das escolas de samba continua somente com a pista, sem as arquibancadas fixas Foto: Lívia Stumpf / Agencia RBS

Neste Carnaval, pelo terceiro ano consecutivo, o prefeito José Fortunati prometeu que a próxima Festa de Momo será com arquibancadas fixas no Sambódromo da Capital. Mas é difícil apostar que pelo menos parte do projeto, que tem valor total de R$ 75 milhões e acomodará quase 25 mil pessoas sentadas, sairá do papel.

Apesar da promessa feita, o fato é que a obra ainda não foi licitada e o dinheiro necessário não está garantido. Ainda terá de ser captado junto ao Governo Federal.

Uma frustração atrás da outra
Com a construção da arquibancada definitiva, o público finalmente passaria a ter um espaço definitivo, e a prefeitura deixaria de gastar uma babilônia de dinheiro - cerca de R$ 20 milhões desde 2004 - com o monta-desmonta da estrutura.

Nos últimos anos, porém, as promessas sempre trouxeram a decepção: nenhum operário na obra, nenhum tijolo assentado.

A culpa do atraso sempre recaiu sobre o projeto, que teve de ser refeito e adaptado três vezes.

Muito barulho e pouca evolução
Concluído o desfile das campeãs deste ano e encerrada a festa, Fortunati reacendeu a esperança da torcida de, em 2015, poder finalmente sentar no concreto, em vez de se acomodar em tábuas de madeira sustentadas por estruturas de ferro.

Segundo a prefeitura, a licitação deve ser lançada ainda no primeiro semestre. A reportagem tentou ouvir o prefeito sobre a série de promessas, mas ele não quis se manifestar.

Só resta aguardar os novos capítulos desta novela que se arrasta há 12 anos com a cadência de um samba desafinado na Avenida.

Os Capítulos recentes
22/2/2012
- Fortunati prometeu e não cumpriu:
Passado o Carnaval, o prefeito determinou a retomada do projeto para construção do Complexo Cultural do Porto Seco e anunciou o início das obras para aquele ano. Um módulo estaria pronto antes dos desfiles de 2013. Em entrevista ao Diário Gaúcho, durante a campanha eleitoral, Fortunati chegou a afirmar que já havia recursos para licitar a primeira etapa da obra. Mas o projeto não saiu do papel.

5/2/2013 - Fortunati prometeu e não cumpriu:
Poucos dias antes do carnaval, Fortunati apresentou novo projeto do Sambódromo e anunciou que os dois primeiros módulos da arquibancada, de um total de nove, deveriam estar prontos em 2014. As obras seriam iniciadas no segundo semestre de 2013. Não foram.

28/6/2013 - Fortunati apresentou novo projeto, mas não deu prazo para conclusão da obra:
Juntamente com os secretários do Desenvolvimento e Assuntos Especiais, Edemar Tutikian, e da Cultura, Roque Jacoby, o prefeito apresentou mais um projeto.

23/1/2014 - Novo projeto é apresentado:
A prefeitura apresentou o projeto finalizado para construção das arquibancadas permanentes. Uma vez concluídas, as arquibancadas poderão acomodar até 23,5 mil pessoas.

28/2/2014 - Fortunati fez nova promessa. Agora, para 2015:
Na primeira noite de desfiles, o prefeito disse que o município trabalha no edital de licitação para construir as arquibancadas permanentes para o próximo ano. Segundo Fortunati, em 2015 teremos dois módulos. Será?

Chega de esperar
O presidente da União da Vila do IAPI e do Conselho Deliberativo da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) de Porto Alegre, Jorge Sodré, entende que já se perdeu tempo demais. Segundo ele, chegou a hora de abandonar o discurso e partir para a prática.

- São dez anos de espera. O Carnaval precisa da estrutura para melhorar o espetáculo para o público. Este ano, saímos com um carro de 16m de altura, mas as arquibancadas tinham, no máximo, 9m - criticou Sodré.

Entenda o caso
- Existente desde 2002, quando foi definido o novo local de desfiles carnavalescos, o projeto de construção do Sambódromo do Porto Seco foi remodelado pelo arquiteto Raul Macadar, a partir de sugestões das escolas e de uma análise da Sapucaí.

- O edital de licitação (concorrência pública) para o Complexo Cultural do Porto Seco foi lançado em 2003.

- A inauguração parcial da obra ocorreu no ano seguinte, com promessa de conclusão em 2005.

- Desde 2004, quando a primeira apresentação foi realizada no local, o monta-desmonta das arquibancadas já custou quase R$ 20 milhões aos cofres públicos.

Arquibancadas fixas em 2015?
Nova promessa para os carnavalescos. Desta vez, feita pelo secretário do Desenvolvimento e Assuntos Especiais, Edemar Tutikian: para a próxima folia, em 2015, pelo menos parte de um dos lados das arquibancadas estará pronto.

No cenário previsto por Edemar, um lado da Avenida teria arquibancadas provisórias, e outro, uma mescla de provisórias e definitivas - o secretário não revelou para quantas pessoas.

O projeto, readaptado no ano passado, foi feito em parceria com os presidentes de escolas de samba.


- Atende a todas as necessidades dos carnavalescos - afirma Edemar, salientando que o custo total da obra é em torno dos R$ 75 milhões, recursos parte da prefeitura, parte a serem captados junto ao Ministério da Cultura.

Edemar informa que o projeto está em fase final de aprovação e de redação do edital de licitação.

Como a obra será executada com estruturas pré-moldadas, a agilidade permitiria que parte das arquibancadas já esteja pronta no Carnaval de 2015.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.