Versão mobile

A polícia na universidade

Policiais federais procuravam drogas enterradas no bosque da UFSC

Investigação apontou existência de "maconhódromo" na universidade.

Atualizada em 27/03/2014 | 09h4426/03/2014 | 20h56
Policiais federais procuravam drogas enterradas no bosque da UFSC Marco Favero/Agencia RBS
Viatura foi destruída por estudantes. Foto: Marco Favero / Agencia RBS

A Polícia Federal (PF) estava com duas equipes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) na UFSC terça-feira à tarde. Uma delas, com cães farejadores, buscava drogas enterradas ou escondidas no mato da região do bosque. O objetivo era materializar na apuração policial a existência de droga ilícita no local.

::: Confronto entre alunos e policiais faz da UFSC um campo de guerra
::: Entenda como ocorreu e quais foram os desdobramentos da confusão

A outra, com agentes à paisana, estava infiltrada no campus em busca de informações sobre o tráfico. Os policiais dizem que cumpriam diligência no inquérito que apura a venda de drogas no campus. Eles afirmam que há indícios não só de comércio de maconha, mas de cocaína, ecstasy e outras drogas sintéticas.

O trabalho com os cães farejadores, conforme a PF, não teve sucesso em relação à denúncia de que haveria drogas enterradas. Mas, os policiais citam que um deles detectou que havia a droga nos estudantes que acabaram detidos com cigarros de maconha.

No inquérito, a PF conta com informações da movimentação de venda e consumo de drogas no campus fornecidas até mesmo pela própria UFSC.

Num dos relatórios de investigação, o Departamento de Segurança diz que o consumo é tanto que o lugar é conhecido como "maconhódromo". Os policiais estariam mesmo de posse de imagens do circuito-interno do campus fornecido pelas universidade.

Outra informação revelada ontem pela PF é que, na sexta-feira, policiais da DRE também estiveram na UFSC em investigação.

Nesse dia, a equipe acabou se deparando com três estudantes adolescentes de outra instituição de ensino com cigarros de maconha. Eles foram encaminhados à delegacia especializada da Polícia Civil.

Embora admitam que o foco da DRE seja atuar em peixes grandes do tráfico, os policiais não diminuem a importância de atuar também diante dos pedidos feitos para a investigação sobre o campus da UFSC.

Citam, por exemplo, uma ação conjunta com a Polícia Militar em agosto de 2013. Foi a partir da prisão de estudantes, no Pantanal, perto da UFSC, que os agentes estouraram um laboratório de ecstasy na Lagoa da Conceição — foram apreendidos 33 mil comprimidos da droga.

Nesse caso, a polícia identificou a atuação de atacadistas da droga, distribuidores e atravessadores que tinham como foco a clientela de jovens moradora da região.

Dois inquéritos são abertos

Em razão do tumulto com os estudantes, a PF instaurou dois inquéritos. Um deles vai apurar a destruição de uma viatura e a de veículo da UFSC.

Outro procedimento vai investigar ferimentos causados a dois policiais federais e a dois policiais militares, além da destruição de câmeras do circuito-interno da universidade.

Ocupação da reitoria

Estudantes da UFSC afirmam que só deixarão reitoria quando reivindicações forem atendidas Guto Kuerten/Agencia RBS

Cobrando garantias de que a polícia não irá mais atuar no campus, estudantes ocuparam a reitoria da UFSC após o tumulto com a PF. E não é só isso: entre as exigências, alunos podem legalização das festas dentro do campus, punição de todos os policiais envolvidos, além de aumentar o número de vagas na moradia estudantil e apresentar um plano de iluminação.

Leia mais:

::: "UFSC é um antro de crimes", diz delegado da PF

::: "Não estou entendendo a postura da PF", diz reitora

Veja imagens do dia no campus da UFSC:

Notícias Relacionadas

Confusão na UFSC 26/03/2014 | 18h52

Estudantes da UFSC afirmam que só deixarão reitoria quando reivindicações forem atendidas

Alunos pedem anulação de documento de 2013 que permite entrada de policiais no campus a partir de qualquer chamada

Conflito entre instituições 26/03/2014 | 16h49

Reitora da UFSC diz estranhar comportamento do superintendente da PF

“Eu não estou entendendo essa postura, provavelmente é desconhecimento” diz Roselane Neckel

Confusão na UFSC 26/03/2014 | 14h43

Alunos listam reivindicações para apresentar à reitora da UFSC

Entre os pedidos há a legalização de festas no campus e punição dos policiais envolvidos

Violência 25/03/2014 | 22h40

Confronto entre estudantes e policiais transforma UFSC em campo de guerra

Confusão no campus da universidade em Florianópolis resultou em cinco presos e dois feridos

Confusão na UFSC  25/03/2014 | 16h38

Tumulto na UFSC entre policiais militares, federais e estudantes resulta em cinco prisões

Confusão teria começado por causa de um estudante fumando maconha no bosque da universidade

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.