Versão mobile

Impasse ucraniano

UE impõe represália à Rússia

Serão suspensas as negociações bilaterais com os russos sobre vistos

06/03/2014 | 15h14

Os líderes europeus decidiram nesta quinta-feira suspender as negociações bilaterais com a Rússia sobre os vistos, a primeira medida política em resposta à ação russa na Crimeia, e ameaçaram Moscou com sanções econômicas, caso a situação na Ucrânia se deteriore.

À margem de uma cúpula extraordinária da UE em Bruxelas, o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, indicou que os dirigentes europeus concordaram em adotar uma estratégia progressiva de sanções para obrigar a Rússia a "negociar" uma saída para a crise na Ucrânia.

Além disso, os europeus consideraram como "ilegal" a decisão do parlamento da península ucraniana autônoma da Crimeia de pedir sua integração à Rússia.

— Essa decisão é contrária à constituição ucraniana e, portanto, ilegal — declarou Van Rompuy.

Com essa mesma visão, o parlamento ucraniano decidiu que lançará um procedimento para dissolver a assembleia regional da Crimeia por ter pedido a união com a Rússia.

O anúncio foi feito pelo presidente interino da Ucrânia, Oleksandr Turchinov.

O parlamento em Kiev "vai iniciar o procedimento de dissolução do parlamento da Crimeia", afirmou a fonte, horas depois do pronunciamento separatista da câmara dessa região autônoma ucraniana de 2 milhões de habitantes, em sua maioria de idioma russo.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.