Versão mobile

Na espera

Operação Emirados: Grêmio aguarda liberação de Fernandinho para o Brasileirão

Em boas condições físicas e com pagamentos ao árabes feitos, clube aguarda documentação para atacante estrear

22/07/2014 | 07h56
Operação Emirados: Grêmio aguarda liberação de Fernandinho para o Brasileirão Fernando Gomes/Agencia RBS
Se for liberado, Fernadinho deve estrear contra o Coritiba Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS
Se quiser contar com o atacante Fernandinho para encarar o Coritiba, domingo, o Grêmio tem mais quatro dias de prazo para regularizá-lo. Mas isso depende da ação dos árabes. É sempre demorado o processo quando se repatria um jogador do mercado do Golfo Pérsico.

Todos os clubes, incluindo o Al Jazira, onde estava Fernandinho, pertencem aos xeiques. E a liberação depende da assinatura deles e da sua agenda de compromissos.

Como perdeu Alán Ruiz, que para 15 dias por lesão muscular, e está sem Dudu, suspenso, se tornou ainda mais urgente a liberação do atacante recém contratado. A parte física do atacante não é mais um problema, garante o preparador físico Fábio Mahseredjian. Se dependesse só de fôlego, Enderson Moreira teria um nome de peso para preencher a vaga aberta no lado direito.

– O Fernandinho fez duas semanas de treinos e já está apto para jogar. Nós demos ênfase em força e potência, mas ele ainda vai melhorar com o ritmo de jogo – afirmou Mahseredjian.

Todos os pagamentos acordados entre Grêmio e Al Jazira já foram quitados. O que ainda falta é o ex-clube de Fernandinho repassar documentos para a federação local, o que permitirá o registro do jogador na CBF.

O departamento jurídico e o diretor-executivo Rui Costa estão em contato com os advogados e representantes do jogador para acompanhar como evolui a situação. Para completar, há o fuso. Os árabes estão sete horas à frente em relação à Brasília.

– Estamos monitorando, mas é uma situação complexa – conforma-se Rui Costa.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.