Versão mobile

Opinião

Paulo Sant'Ana: futuro incerto da Seleção Brasileira

14/07/2014 | 05h15

Já antes de domingo, a Alemanha detinha a condição de campeão moral, quando submeteu o Brasil aos históricos 7 a 1.

Mas é impressionante a comparação da vitória alemã de domingo com a goleada frente ao Brasil. Por essa comparação, pode-se notar a debilidade da Seleção Brasileira. Os argentinos lutaram desde o início do jogo até a prorrogação, enquanto o Brasil cedeu a goleada humilhante nos primórdios da partida.

A Argentina não tinha quase nada além de Messi, por isso também não ganha o título.

A Alemanha agora é tetra, encontra-se a apenas um título do penta brasileiro.

Estava em jogo no domingouma disputa de prestígio histórico entre Maradona e Messi. Fosse a Argentina campeã mundial com a ajuda de Messi, este bateria Maradona em prestígio.

Assim, com Messi não tendo título mundial, Maradona se adona soberanamente como o maior jogador argentino de todos os tempos.

O treinador Felipão teima em não se demitir. Cria claramente um constrangimento, nascido entre os dirigentes atuais e futuros da CBF, que incrivelmente dizem a ele que poderá continuar a ser o treinador da Seleção. Certamente o dizem para não serem indelicados.

Quem leva 7 a 1 da Alemanha não pode querer continuar. É uma insanidade do técnico, acumpliciada com os dirigentes, o que nos dá a ideia de onde estávamos metidos.

Só uma coisa seria pior para nós do que os 7 a 1: que a Argentina fosse campeã mundial em pleno Maracanã.

A única coisa certa é o futuro incerto.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.