Versão mobile

Estreia importante

'É apenas se preocupar em fazer um grande jogo', diz jovem Airton, sobre primeiro Ca-Ju no time titular do Juventude

Goleiro ficou marcado por gol anotado em clássico de juvenis em 2010

06/08/2014 | 07h02
'É apenas se preocupar em fazer um grande jogo', diz jovem Airton, sobre primeiro Ca-Ju no time titular do Juventude Porthus Junior/Agencia RBS
Goleiro de 20 anos ganhou espaço nos últimos jogos Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
A pressão sobre a equipe é grande. Passados três jogos sem vitória, o Juventude entra em campo nesta quinta-feira, às 21h, para o clássico Ca-Ju, com o peso da desconfiança do torcedor e a necessidade de conquistar os três pontos.

Por todos esses fatores, seria momento para que a experiência e a maturidade tomassem a frente. Não no gol alviverde. Em uma das posições mais contestadas do futebol, a vez é do jovem Airton, cheio de personalidade, e sem medo do desafio.

— Não muda muita coisa. Já estamos acostumados a jogar o Ca-Ju na base, foram muitos clássicos e é apenas se preocupar em fazer um grande jogo, ter uma boa atuação para que a afirmação aconteça — projeta.

Afirmação é a palavra do momento para o jogador de 20 anos. Após algumas oportunidades na reta final da Série D de 2013, a terceira partida seguida como titular neste ano serve como motivação para que a sequência se transforme em confirmação da titularidade definitiva.

— Pretendo que isso ocorra. Tive oportunidades o ano passado, mas o time já tinha conquistado o acesso, não havia pressão. Agora, não estamos em um momento muito bom e eu participo disso também — destaca o goleiro.

Quando o assunto é Ca-Ju, um fato sempre vem a lembrança de Airton. Um gol marcado por ele no clássico válido pela semifinal do Estadual sub-17, em 2010. Logicamente, ele não espera que o fato se repita, mas uma vitória como a que ocorreu naquela oportunidade, serviria para amenizar o momento crítico e recolocar o Juventude na briga pela vaga:

— A gente tem que trabalhar e conversar bastante. Eu sou um goleiro que gosta de orientar muito e é nessas coisas pequenas que se busca a afirmação, de passar a tranquilidade para a torcida, para a comissão técnica, para o grupo de jogadores.

A personalidade demonstrada por Airton será novamente colocada à prova. Amanhã, em um duelo particular contra o experiente Julio Madureira. Um ex-companheiro que merece atenção especial.

— Na época só treinava, mas acompanhava muito do trabalho dele. É não deixar que ele marque o gol, orientar a defesa para que a marcação seja bem feita e se tente anular as chances, porque se tiver, ele faz.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.