Versão mobile

Opinião

Rosane de Oliveira: empate no Piratini e no Senado

08/08/2014 | 04h11
A dois meses da eleição, a pesquisa do Ibope para o Piratini e o Senado indica uma disputa das mais apertadas na história do Estado. A vantagem de Ana Amélia Lemos (PP) sobre Tarso Genro (PT), que na pesquisa anterior era de seis pontos percentuais, caiu para apenas um. Os dois estão tecnicamente empatados: a senadora tem 36%, e o governador, 35%. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Com um mês de campanha na rua e exposição diária dos candidatos, consolidou-se a polarização entre Ana Amélia e Tarso, já que os demais concorrentes não conseguiram crescer para além da margem de erro. Juntos, os outros seis aspirantes ao cargo somam apenas 11%.

A simulação de segundo turno indica vantagem de Ana Amélia (45% a 36%), uma diferença inferior à que ela tinha em abril (48% a 34%). Na sondagem divulgada em 19 de julho, o Ibope não fez simulação de segundo turno por ser a primeira depois do registro das candidaturas.

A segunda pesquisa depois do início da campanha confirmou a reviravolta no cenário com a entrada de Olívio Dutra (PT). Ele e o candidato do PDT, Lasier Martins, seguem tecnicamente empatados. Lasier tem 30%, e Olívio, 27%. Todos os movimentos ocorreram dentro da margem de erro, o que equivale a dizer que nada mudou em três semanas. Na espontânea, sem apresentação de um cartão com o nome dos candidatos, Lasier e Olívio têm 10% cada um.

Desta vez, o instituto pesquisou também a rejeição dos candidatos que disputam a vaga ao Senado. Olívio lidera a rejeição, com 15%, seguido de Lasier, com 9%. Quem tem o menor índice é Simone Leite (PP), com apenas 4%, o mesmo percentual que ela tem em intenção de voto. Por disputar o mesmo eleitorado do pedetista, Simone se tornou uma das principais preocupações do PDT.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.