Versão mobile

Para ver no ecran

Festival Varilux traz aos cinemas do Brasil filmes franceses inéditos 

Entre os destaques da seleção, estão longas estrelados por Catherine Deneuve, Gérerd Depardieu,  Juliette Binoche e Marion Cotillard

06/06/2017 - 17h05min | Atualizada em 07/06/2017 - 09h24min
Festival Varilux traz aos cinemas do Brasil filmes franceses inéditos  Festival Varilux/Divulgação
Juliette Binoche em "Tal Mãe, Tal Filha" Foto: Festival Varilux / Divulgação  

Tradicional porta de entrada no Brasil de filmes franceses recentes com perfil mais comercial, o Festival Varilux apresenta, a partir desta quinta-feira até 21 de junho, a edição 2017 em 56 cidades do país. No Rio Grande do Sul, recebem a mostra Porto Alegre, Caxias, Pelotas, Rio Grande e Santa Maria. A programação traz 19 longas-metragens, incluindo, como é recorrente no evento, um grande clássico: Duas Garotas Românticas (1967), dirigido por Jacques Demy. 

Entre os títulos selecionados, estão produções que integraram os mais prestigiados festivais internacionais — Cannes Berlim e Veneza — e trazem no elenco nomes consagrados, de Catherine Deneuve e Gérard Depardieu a Juliette Binoche e Marion Cotillard. Na Capital, os filmes serão exibidos no Cinemark BarraShopping (Av. Diário de Notícias, 300), Espaço Itaú ( Av. Túlio de Rose, 80), Guion Center (Rua General Lima e Silva, 776)  e, a partir de segunda, na Sala Redenção ( Av. Paulo Gama, 110, Campus Central da UFRGS). 

Zero Hora  já assistiu a alguns dos filmes do Festival Varilux e aponta oito destaques da seleção. Veja aqui programação completa em cada cidade e sala de exibição e mais informações sobre os 19 longas. 

Tal Mãe, Tal Filha
Uma das maiores atrizes do cinema francês, Juliette Binoche (na foto acima) estrela a nova comédia da diretora Noémie Saglio, que já havia participado do Festival Varilux com Beijei uma Garota (2015). Binoche interpreta Mado, uma linda mulher de seus 50 anos que se comporta como uma adolescente irresponsável e mora com a filha Avril (Camille Cottin) e o genro. Quando a certinha Avril engravida, Mado surta com o fato de que vai virar avó. A situação fica ainda mais complicada quando a futura vovó também fica grávida depois de uma recaída com o ex-marido e pai de Avril, um famoso maestro vivido pelo ator Lambert Wilson.

Um Instante de Amor

Marion Cotillard  Foto: Festival Varilux / Divulgação

A atriz e diretora Nicole Garcia, realizadora de filmes densos como O Filho Preferido (1994) e O Adversário (2002), reúne dois dos maiores astros do cinema francês contemporâneo nesse drama romântico: Marion Cotillard e Louis Garrel. Um Instante de Amor se passa no começo dos anos 1950 e acompanha a história de Gabrielle (Marion), obrigada a casar-se com um viúvo frequentador de prostíbulos. Infeliz no casamento, Gabrielle viaja para os Alpes em busca de cura em águas termais para seu problema de pedras nos rins, envolvendo-se romanticamente por lá com André (Garrel), um militar casado.

O Reencontro

Catherine Deneuve e Catherine Frot Foto: Festival Varilux / Divulgação

Lançada no Festival de Berlim de 2017, esta comédia dirigida por Martin Provost traz na linha de frente Catherine Deneuve, a grande diva do cinema francês. A atriz vive Béatrice, mulher extravagante, e vista pelos outros como inconveniente, que procura se aproximar de Claire (Catherine Frot), filha de seu falecido amante. Esta, por sua vez, é uma parteira que encara um momento de impasse no trabalho e uma crise doméstica — seu filho está prestes a sair de casa. Apesar das muitas diferenças, de idade e de trajetórias, essas duas mulheres perceberão que uma poderá ajudar a outra a encarar a solidão e os reveses de suas vidas.

Perdidos em Paris

Dominique Abel, Emmanuelle Riva e Fiona Gordon  

Há mais de 30 anos trabalhando em parceria, o casal de diretores e intérpretes Fiona Gordon e Dominique Abel volta a mostrar o característico humor "gauche" nessa excelente comédia, que marca uma das últimas aparições no cinema de Emmanuelle Riva (1927 — 2017). Fiona interpreta uma bibliotecária de uma pequena cidade canadense que recebe uma carta aflita de sua tia Martha (Emmanuelle), octogenária que vive sozinha em Paris. A atrapalhada sobrinha voa então até a capital francesa para visitar a idosa, mas lá descobre que ela desapareceu. Em uma sucessão de desastres cômicos, Fiona conhece Dom, um sem-teto egoísta e sedutor que não vai deixá-la sozinha em sua busca por Martha.

Tour de France

Gérard Depardieu e Sadek Foto: Festival Varilux / Divulgação

A França tradicional, nostálgica de seu glorioso passado iluminista, e a contemporânea, marcada pela cultura dos imigrantes e pelos problemas sociais, confrontam-se na comédia dramática do ator e diretor Rachid Djaïdani. O jovem rapper Far'Hook (vivido pelo rapper francês Sadek) é forçado a deixar Paris por um tempo, indo para o interior a fim de acompanhar o turrão Serge (Gérard Depardieu), pai de seu produtor, em uma viagem pelos portos franceses pintados por Vernet no século 18. Dessa convivência surgirá uma inusitada amizade entre esses representantes de mundos aparentemente incomunicáveis.

Rodin

Vincent Lindon ( Foto: Festival Varilux / Divulgação


Tema de diferentes bons filmes, o conturbado relacionamento entre Auguste Rodin (1840 — 1917) e sua jovem pupila e amante Camille Claudel (1864 — 1943) destaca aqui a figura do escultor. Com direção de Jacques Doillon e Vincent Lindon no papel central, Rodin disputou a Palma de Ouro no Festival de Cannes em maio. A história se passa na Paris de 1880, quando o artista começa a obter reconhecimento com, entre outros trabalhos, O Beijo e O Pensador. Em meio à sua projeção e ao relacionamento com uma costureira, Rodin começa a se envolver com sua talentosa assistente Camille.

Frantz

Paula Beer e Pierre Niney Foto: Festival Varilux / Divulgação


O prolífico François Ozon foi umas das sensações do último Festival de Cannes com o suspense erótico L'amant Double. Frantz, seu projeto anterior, que teve première na seleção principal do Festival de Veneza 2016, ilustra a versatilidade do diretor em diferente gêneros. Aqui, ele apresenta um drama de época livremente adaptado do clássico Não Matarás (1932), de Ernest Lubitsch. O cenário é uma pequena cidade alemã em 1919. Uma jovem, Anna (Paula Beer), amarga a morte de seu amado no front da I Guerra visitando o cemitério onde o rapaz foi enterrado. Ao mesmo tempo em que é cortejada por um homem mais velho, Anna fica intrigada pela presença no local de um rapaz francês, Adrien (Pierre Niney), que também deposita flores no túmulo, episódio que dispara inquietantes revelações.

A Vida de uma Mulher

Judith Chemla (è esquerda) é a protagonista Foto: Festival Varilux / Divulgação

Vencedor do Prêmio da Crítica no Festival de Veneza de 2016, o longa de Stéphane Brizé, adaptando o primeiro romance de Guy de Maupassant, tem na atuação de Judith Chemla um de seus destaques. Na história iniciada em 1819, a atriz vive Jeanne, uma jovem de 18 anos que volta para a casa dos pais em uma região rural da Normandia após completar seus estudos em um convento. Jeanne é cortejada por um visconde, com quem acaba se casando. Mas o galante homem começa a se mostrar um tipo desprezível, lançando a protagonista em uma profunda infelicidade ao longo dos próximos anos.