História

O estranho furto de uma raridade da Biblioteca Pública de Pelotas

Álbum Brazil Pitoresco foi roubado em 1943

Por: Zero Hora
14/01/2017 - 05h05min | Atualizada em 14/01/2017 - 05h05min

Em fins de 1943, o desaparecimento de uma obra rara da Biblioteca Pública de Pelotas intrigou toda a cidade. Como alguém iria subtrair um volume pesando cerca de 10 quilos, com 64 centímetros de altura por 50 de largura? Tratava-se do álbum Brazil Pitoresco, do francês Charles Ribeyrolles, impresso em Paris, em 1861. Os jornais da época trataram do assunto como "um caso estranho, de aspectos misteriosos".

O autor do furto, apresentado como um "ladrão original", identificado como Manoel Vilanova Santos, levou a obra para o Rio de Janeiro, onde a confiou a um amigo, depois de arrancar-lhe a capa e separar cada uma das 50 lâminas com vistas e imagens curiosas do Brasil, além de relato e fotos do imperador Dom Pedro IIe sua família. O objetivo do ladrão era posteriormente vender as peças ao preço de mil cruzeiros a unidade. Mas ele acabou preso quando viajava, via aérea, para Buenos Aires.

Obra que foi roubada da Biblioteca Pública de Pelotas Foto: DIVULGAÇÃO / AYRES CERUTTI

O livro, remetido de volta a Pelotas, teve o auto de apreensão lavrado, em 2 de fevereiro de 1944, pelo delegado Galvão Xavier de Castro. Segundo a polícia, Vilanova justificou o furto dizendo que o álbum estava em "péssimas mãos e que havia retirado o documento para levá-lo a quem dele cuidasse com dedicação". 

O Brazil Pitoresco, restaurado, encontra-se hoje na Biblioteca Pública de Pelotas, protegido numa caixa especial, como uma das mais valiosas raridades da casa.

Leia outras colunas do Almanaque Gaúcho

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.