Informe rural

Gisele Loeblein: novo ministro da Agricultura sabe o que os gaúchos querem

Reajuste do preço mínimo do trigo e do arroz estão entre os pedidos dos produtores do Rio Grande do Sul ao governo federal

13/03/2014 | 22h23

Neri Geller começou a semana na Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque, como secretário de Política Agrícola. E terminará a semana em Brasília, como novo ministro da Agricultura. Já há algum tempo o político gaúcho vinha preparando terreno para isso – a confirmação do nome dele para o cargo não foi nenhuma surpresa. Era mais uma questão de arranjo político do que qualquer outra coisa.

Em conversa por telefone com o presidente da Federação da Agricultura (Farsul), Carlos Sperotto, Geller se disse motivado para assumir o desafio. O novo titular da pasta, no entanto, não precisa esperar a cerimônia de posse, que ficou para a próxima segunda-feira, para saber o que querem os produtores do Rio Grande do Sul.

As lições estão na ponta da língua: garantir reajuste do preço mínimo do trigo e do arroz são alguns dos itens. Os pedidos foram diretamente encaminhados a Geller, que em fevereiro veio ao Estado em mais de uma ocasião, entre as quais para a abertura da colheita do arroz, em Mostardas.

– Ele conhece toda missa. Está hoje com um material farto em mãos – diz Sperotto.

Nascido em Selbach, Geller fez a vida como produtor e a carreira política em Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso, para onde foi em 1984.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.