Até quando?

Joana Colussi: buracos mais fundos no caminho da safra gaúcha

Estradas de chão batido e rodovias esburacadas reforçam ineficiência no escoamento de grãos no Estado

31/03/2014 | 12h09
Joana Colussi: buracos mais fundos no caminho da safra gaúcha Tadeu Vilani/Agencia RBS
Custo do frete chega a dobrar no período da colheita em locais de difícil acesso Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

De agora até o fim de abril, quando o ritmo da colheita de soja se intensifica em todas as regiões do Rio Grande do Sul, problemas logísticos que historicamente acompanham a produção agrícola ficarão ainda mais profundos. Somente no porto de Rio Grande, destino de 50% da safra gaúcha, 2,3 mil caminhões descarregam toneladas do grão diariamente.

Para chegar até lá, motoristas enfrentam desde barro e poeira em estradas de chão batido até buracos e lentidão em rodovias pedagiadas ou abandonadas após o fim dos contratos de concessão. Neste ano, caminhões carregados com grãos produzidos principalmente no Centro-Oeste ajudam a complicar a situação das rodovias gaúchas.

Das 9,5 milhões de toneladas de soja previstas para chegar ao porto de Rio Grande até o fim da safra, 500 mil têm como origem Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins. Outras 300 mil toneladas de milho vindos desses mesmos Estados desembarcarão aqui para fugir das tradicionais filas quilométricas nos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR). O efeito, em um Estado que escoa quase 80% da safra por meio rodoviário, é imediato: aumento no preço do frete, em proporções que chegam a passar de 50%.

Na região de Cruz Alta, uma das principais áreas produtoras, onde o custo por tonelada transportada até o porto não passa de R$ 50 durante o ano, neste período ultrapassa R$ 80. E há quem nem reclame do preço, desde que consiga o transporte. Com a nova lei dos motoristas, empresas estão com dificuldade para encontrar profissionais capacitados, impedindo o aumento da frota de caminhões na necessidade demandada.

Saudada pelo impacto positivo que traz à economia gaúcha e no equilíbrio da balança comercial, a terceira maior safra de soja do país mais uma vez se destaca pelo volume – fruto de investimentos em tecnologia agrícola. Da porteira para fora, porém, os grãos continuam sendo freados pela ineficiência logística.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.