Crise grega

Grécia tem acordo de três partidos para formar governo, diz líder da esquerda radical

Por dois anos no poder, governo de coalizão aplicaria plano de austeridade acordado com UE e FMI

13/05/2012 | 12h27

O líder da esquerda radical grega (Syriza), Alexis Tsipras, anunciou neste domingo que três partidos alcançaram um acordo para formar um governo de coalizão por um período de dois anos, que aplicará o plano de austeridade acordado com a União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) em troca de assistência financeira.

— Ao todo, os três partidos têm 168 deputados no novo Parlamento e têm, portanto, a maioria — disse o líder do partido Syriza, referindo-se aparentemente aos conservadores da Nova Democracia, os socialistas do PASOK e o partido Esquerda Democrática.

Tsipras fez as declarações após ser recebido esta manhã pelo presidente Carolos Papulias junto ao líder conservador Antonis Samaras e o socialista Evangelos Venizelos. Nem Samaras nem Venizelos falaram do acordo após a reunião desta manhã. Papulias deve reunir-se durante a tarde com os líderes dos demais partidos gregos.

Nenhum dos três partidos que obtiveram os melhores resultados eleitorais conseguiu na semana passada formar um governo de coalizão. Os resultados das legislativas — com uma forte alta do Syriza e a entrada dos neonazistas no Parlamento - preocuparam seriamente a Europa.

Os partidos tradicionais, Pasok e Nova Democracia, ambos europeístas e favoráveis ao draconiamo plano de austeridade imposto à Grécia, não somaram assentos suficientes para obter a maioria no Parlamento.

A maior parte dos demais partidos, incluindo a esquerda radical Syriza e seu líder Alexis Tsipras, se opõe de maneira taxativa à austeridade. Os analistas políticos consideram que, em caso de novas eleições, o Syriza poderia desta vez ocupar o primeiro lugar.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.