Olho na qualidade

Malharias investem em peças duráveis e na moda

Lojistas de Nova Petrópolis apostam em bons produtos e aliam tendência com conforto para vendas no Festimalha

17/05/2012 | 12h21
Malharias investem em peças duráveis e na moda Mauro Stoffel/Especial
Estampas retrô e animal print são tendências para o inverno Foto: Mauro Stoffel / Especial

Mais que a beleza, a qualidade das malhas deve ser observada na escolha das peças que desfilam pelas ruas no inverno. Durante o 23º Festimalha, os lojistas expõe ao público a preocupação com peças bem acabadas, duráveis e com traços da moda.

— Com as peças baratas que entram da China, houve uma procura por fios mais em conta no mercado brasileiro, mas ainda assim há material de muito boa qualidade disponível — explica a estilista Luciana Willrich.

Outra opção aos malheiros têm sido olhar, novamente, ao mercado externo para trazer de lá materiais alternativos de alta qualidade, além do que é moda que pode conquistar o público nacional.

— As estampas coloridas em malhas neutras, como cinza e beges, é tendência europeia, assim como as lãs naturais —  amplia a estilista Stéfani de Lio.

Até o dia 10 de junho, aberto de quintas-feiras a domingos, o Festimalha estima vender mais de 300 mil peças a um público esperado de 100 mil pessoas.

23º Festimalha

— Quando: até 10 de junho, de quintas-feiras a domingos.Quintas, sextas e domingos, das 10h às 19h; e sábados, das 10h às 20h

— Onde: Centro de Eventos de Nova Petrópolis (Avenida Padre Affonso Theobald, 1700, bairro Juriti)

— Quanto: R$ 5 ao público geral, R$ 2,50 para pessoas acima de 60 anos e excursões acima de 10 pessoas nas sextas-feiras. Público acima de 60 anos, isento nas sextas-feiras. Crianças até 10 anos não pagam. Nesta quinta, o ingresso será isento para quem levar um agasalho em bom estado para doação

 
Malhas com pontos firmes têm mais durabilidade
Foto: Mauro Stoffel / Especial


Tendências para o frio

— As malhas tradicionais sempre são moda, mas neste inverno cores, estampas e aplicações são novidade

— O clássico casaquinho feminino, de malha fina, tem releitura com aplicação de bordados ou estampas coloridas, xadrezes leves e poá. Mais curtos, são usados em tamanhos entre a cintura e o quadril

— As malhas são misturadas à lã batida, renda e pele sintética, fortes em outras peças do inverno

— As cores variam do preto, bege e marrom para tons mais abertos de verde, laranja, amarelo e vermelho. Também há forte tendência de estampas retrôs e animal print

— Além da malha com fios tradicionais, a lã tipo mohair, mais fofa e felpuda, aparece em peças mais volumosas

— Outra opção de material é a lã de angorá, mais quente que a tradicional e ideal para os alérgicos a lã. Como esse material é raro, há mistura dele com cashmere, que garante maciez à peça

— Entre as peças mais leves, prevalece as confeccionadas com poliéster, que podem receber variadas estampas depois de prontas

— Nas peças masculinas, há casacos e malha tradicionais em xadrez e mistura de malha com moletom e xadrez

Identifique a boa malha

Observar alguns aspectos na hora da compra pode ajudar a identificar uma malha de boa qualidade:

— Abra a trama da malha, no sentido do comprimento, e teste sua firmeza. Quanto mais firme é o ponto, mais durabilidade terá a peça

— Prefira peças que não tenham costura entre o corpo principal e a ponta das mangas e seu acabamento. Há máquinas que fazem as aberturas junto com a malha, o que evita que se descosture

— Observe se as golas, principalmente em peças mais pesadas, são costuradas ou remalhadas. Virando a peça do avesso, a que é costurada tem a costura aparente. A peça que foi remalhada (costurada com uma máquina especial), tem um acabamento mais bonito e de melhor qualidade

 
Foto: Mauro Stoffel / Especial

— Procure saber de qual material a peça é feita e quanto possui de algodão e lãs naturais

Bem cuidada a cada ano

— Evite lavar malhas na máquina, a maioria das peças é delicada e precisar ser lavada a mão

— Não use amaciante, pois ele abre as fibras e aumenta as chances de formação de peeling (bolinhas)

— Prefira secar a peça deitada sobre um varal. Não pendure o tricô no varal com prendedores de roupa, que deixarão a peça marcada

— Para passar, não encoste o ferro na peça. Use o vapor para desamassar ou então cubra a malha com um pano úmido

— Dobre a peça para guardar. Cabides deformam a malha

— Os peelings (bolinhas) se formam pelo atrito. Então procure lavar as peças separadamente

— Se formarem bolinhas, corte cada uma com uma tesoura pequena, tipo de unha. Não use barbeador, que pode cortar a trama e danificar a malha

Fontes: estilistas Luciana Willrich, da Lyttus, e Stéfani de Li, da Sandra de Lio

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.