Ceia salgada

Preço do peru de Natal vai subir até 15%

Previsão de aumento para o período de festas se deve à elevação dos custos de produção

01/11/2012 | 04h02
Preço do peru de Natal vai subir até 15% Emílio Pedroso/Agencia RBS
Nos balcões refrigerados, produto já começa a ganhar destaque Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS

Os consumidores gaúchos podem preparar o bolso para uma ceia natalina mais salgada neste fim de ano. Com a alta dos custos de produção das aves por causa da elevação do preço de insumos para ração animal, como o milho, a expectativa é de valores 15% maiores do que em 2011.

Atendência é confirmada tanto pelas indústrias do setor avícola quanto pelos supermercadistas e se repete nos últimos quatro anos (veja abaixo). Em 2011, o preço médio das aves natalinas, segundo o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, ficou entre R$ 9,90 e R$ 10,90. Uma das saídas do varejo para dimunir o impacto da alta será buscar produtos regionais de empresas de menor expressão no mercado.

– Mas pela nossa experiência, os consumidores procuram marcas tradicionais e aceitam pagar mais, pois é um momento de comemoração. Devemos ter um crescimento nas vendas de no máximo 5% em relação a 2011 – avalia Longo.

Em um ano, conforme o secretário executivo da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), José Eduardo dos Santos, o custo médio de produção das aves aumentou 30%. O reajuste foi acompanhado por uma alta de 20% no preço da carne de frango nos últimos seis meses.

– Não temos como segurar a alta dos custos de produção. O impacto dos preços da soja e do milho foi forte, e teremos de repassar aos consumidores – diz o dirigente.

Se os preços preocupam, a falta de produto não deverá ser problema para a festa de Natal. No ano passado, de acordo com o secretário executivo da Asgav, alguns pontos de venda registraram falta de produtos. Um dos motivos para o crescimento do consumo está no aumento do poder aquisitivo do brasileiro.

– As empresas estão redirecionando a produção para as aves natalinas para esta época do ano. Nossa expectativa é de produzir 100 mil toneladas de carne, o que atende à demanda do consumidor gaúcho – afirma Santos.

Conforme a edição 2011 da pesquisa Agas sobre tendências de consumo no Natal, 60% dos entrevistados elegeram o peru e o chester como produtos indispensáveis à ceia.

No bolso e na mesa
Mesmo com a alta dos preços das carnes de aves natalinas nos últimos anos, as vendas do produto apresentaram elevação, embora o percentual esteja ficando cada vez menor:

Variação de preços entre um ano e outro:
2008 para 2009: 4,1%
2009 para 2010: 5,2%
2010 para 2011: 5%
2011 para 2012*: 15%

Variação nas vendas no varejo entre um ano e outro:
2008 para 2009: 8,7%
2009 para 2010: 7,3%
2010 para 2011: 6,6%
2011 para 2012*: 5%

*Projeção do varejo Fonte: Agas

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.