Polêmica real

Empresa japonesa de bitcoin entra com pedido de recuperação judicial

A Mt.Gox afirma que hackers teriam roubado mais de 800 mil moedas virtuais dela e de seus clientes

28/02/2014 | 19h58
Empresa japonesa de bitcoin entra com pedido de recuperação judicial JIJI PRESS/AFP
O presidente da Mt.Gox, principal plataforma de câmbio de bitcoins, anunciou nesta sexta-feira o pedido de recuperação Foto: JIJI PRESS / AFP

Alegando ser vítima de um ataque virtual, a empresa japonesa Mt. Gox, principal plataforma de câmbio da moeda virtual bitcoin, entrou com um pedido de recuperação judicial, nesta sexta-feira. Ela afirma que hackers teriam roubado mais de 800 mil moedas dela e de seus clientes — o equivalente a cerca de US$ 450 milhões.

Em entrevista coletiva, o presidente da Mt.Gox, Mark Karpeles, pediu desculpas aos clientes prejudicados e alegou que "houve uma falha no sistema" da empresa. Ele também afirmou que pretende apresentar uma queixa contra o ataque virtual.

— Eu realmente sinto muito por ter causado essa inconveniência — disse Karpeles.

Entenda o caso

Na última terça-feira, a Mt.Gox encerrou as atividades de sua operação de câmbio de bitcois, a principal no mundo, sem dar satisfações aos clientes. Mesmo antes do "apagão", o valor da moeda já havia despencado para US$ 130 na plataforma japonesa, quatro vezes menos que em outros sites.

Os acontecimentos da Mt. Gox afundaram na crise a jovem moeda virtual que permite, entre outras coisas, pagar bens e serviços na internet. Outros seis grandes atores do bitcoin buscaram limitar o incêndio ao se desvincular claramente na terça-feira da plataforma japonesa, acusada de "ações intoleráveis que não refletem nem a solidez, nem o valor do bitcoin e da indústria da moeda digital".

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.