Em alta

Preço médio dos imóveis em Porto Alegre sobe 1,2% em janeiro, acima da inflação

No Brasil, variação registrada nos últimos 12 meses pelo índice Fipe Zap mostra que valor do metro quadrado está desacelerando

05/02/2014 | 09h03
Preço médio dos imóveis em Porto Alegre sobe 1,2% em janeiro, acima da inflação Ronald Mendes/Agencia RBS
Em comparação com os dois meses anteriores, preço do imóvel em janeiro apresentou desaceleração no crescimento Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS

Diferentemente da tendência registrada no Brasil, o preço do metro quadrado dos imóveis prontos em Porto Alegre subiu 1,2% em janeiro, segundo índice Fipe Zap, que pesquisa os preços na internet em 16 cidades. A taxa é superior à expectativa de inflação para o período. Já em São Paulo, principal mercado do país, os preços registraram em janeiro a menor variação mensal da série histórica iniciada em janeiro de 2008. Em janeiro, o preço na cidade de São Paulo, de R$ 7.839, teve alta de 0,70%.

– É praticamente a variação esperada para inflação neste mês – compara o coordenador do índice, Eduardo Zylberstajn, citando o último Boletim Focus do Banco Central, que projeta IPCA de 0,72% para janeiro.

Em 2013, preço dos imóveis em Porto Alegre cresceu acima da inflação

O economista observa que, em janeiro, a maioria entre as 16 cidades pesquisadas teve variação de preços muito próximas da expectativa de inflação para o período. Exceção à regra foram as altas no Rio de Janeiro (1,2%), Recife (1%), Florianópolis (1,6%), Vitória (1,4%), Niterói (1,1%) e a capital gaúcha.

– Até pouco tempo atrás era difícil encontrar cidades com preços subindo igual ou abaixo do IPCA. Hoje é mais frequente – diz Zylberstajn.

Variação dos últimos 12 meses mostra que aumento está desacelerando

O preço do imóveis está perdendo o fôlego. Pelo segundo mês consecutivo, a variação em 12 meses do preço médio do metro quadrado dos imóveis prontos, a maioria usados, desacelerou em janeiro na comparação com o mês anterior.

No mês passado, a variação do preço do metro quadrado acumulada em 12 meses estava em 13,5%. Em dezembro, esse mesmo indicador estava em 13,7% e, em novembro 13,8%.

– Com dois meses de desaceleração ainda não é possível tirar conclusões – afirma Zylberstajn.

Mas ele pondera que os indicadores ruins, como a inflação persistente em níveis elevados e as incertezas que contagiam as expectativas, podem estar afetando o mercado imobiliário.

Movimento também de desaceleração foi registrado nas variações mensais de preço. Na média das 16 cidades pesquisadas, o preço dos imóveis anunciados na internet aumentou 0,8% em janeiro na comparação com o mês anterior. Em dezembro, a variação mensal havia sido de 1%.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.