Freio de mão puxado

Receita do setor de serviços começa 2014 com crescimento de 9,3%

Taxa acumulada nos últimos 12 meses mostrou desaceleração no crescimento

18/03/2014 | 11h26

A receita bruta do setor de serviços subiu 9,3% em janeiro sobre janeiro de 2013, segundo a pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A receita bruta do setor acumula alta de 8,5% em 12 meses. Em igual mês de 2013, essa taxa acumulada era de 9,8%.

– É uma tendência de desempenho menor em relação a 2013. O setor de serviços acompanha, ele é complementar em relação a outras atividades, como indústria, comércio e agricultura – afirmou o técnico da Coordenação de Serviços e Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Roberto Saldanha.

– Os serviços refletem principalmente a demanda empresarial. E, desde o ano passado, os serviços vêm mostrando menor demanda dos segmentos empresariais como um todo. É a desaceleração (na atividade econômica) que chega ao setor de serviços – acrescentou.

Saldanha ainda notou que, desde o terceiro trimestre de 2013, a taxa em 12 meses da receita nominal de serviços tem se mantido no mesmo patamar, ao redor de 8,5%, uma mostra da desaceleração na atividade.

– Mas, mesmo descontando a inflação, tem um crescimento real – sustentou.

A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) ainda não conta com um deflator.

O IBGE ainda revisou o dado sobre a receita bruta nominal do setor de serviços de dezembro de 2013 ante dezembro de 2012. O crescimento, que havia sido apontado em 8,4%, passou para 8,3%.

A pesquisa foi inaugurada em agosto de 2013, com série histórica desde janeiro de 2012. Produz índices nominais de receita bruta, desagregados por atividades e com detalhes para alguns Estados, divididos em quatro principais tipos: o índice do mês frente a igual mês do ano anterior; o índice acumulado no ano; o índice acumulado em 12 meses; e o índice base fixa, comparados à média mensal obtida em 2011.

Ainda não há divulgação de dados com ajuste sazonal (mês contra mês imediatamente anterior), pois, segundo o IBGE, a dessazonalização requer a existência de uma série histórica de aproximadamente quatro anos.

Transportes

O segmento de transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio registrou receita bruta nominal 10% maior em janeiro deste ano sobre igual período de 2013. Com esse resultado, o setor contribuiu com a maior parcela da alta de 9,3% registrada para a receita bruta nominal da atividade de serviços na mesma comparação, segundo o IBGE. Em 12 meses, a alta acumulada para o setor de transportes é de 10,4%, sem descontar a inflação no período.

Apesar disso, a maior taxa foi observada no setor de serviços prestados às famílias, cuja renda nominal teve alta de 12,1% em janeiro. Em 12 meses, a alta nominal é de 10,5%. A atividade de serviços de informação e comunicação mostrou alta na receita nominal de 8,8% em janeiro. Em 12 meses, o avanço acumulado é de 7%.

Já a receita bruta nominal dos serviços profissionais, administrativos e complementares cresceu 9% em janeiro. Em 12 meses, a taxa acumulada é de 8,1%. O segmento de outros serviços teve alta de 6,8% na receita nominal no primeiro mês deste ano, sempre na comparação com igual período do ano passado, sem descontar a inflação. Em 12 meses, a alta acumulada é de 6,2%.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.