Negociação

Itaú fica mais perto de comprar operação de varejo do Citi no Brasil

Varejo do Citibank soma R$ 8 bilhões em operações de crédito no país e conta com uma rede de 71 agências

Por: Estadão Conteúdo
21/09/2016 - 10h28min | Atualizada em 21/09/2016 - 12h41min
Itaú fica mais perto de comprar operação de varejo do Citi no Brasil Paulo Pampolim/Divulgação
Presidente do Citibank no Brasil, Hélio Magalhães Foto: Paulo Pampolim / Divulgação

O Itaú Unibanco está negociando com exclusividade a operação de varejo do Citibank no Brasil. Fontes não sabem afirmar se o Santander Brasil continua no páreo, mas alegam que o interesse dos espanhóis pelo ativo diminuiu, facilitando a chegada do concorrente, que teria feito uma oferta maior.

Tanto o presidente do Citi no Brasil, Hélio Magalhães, quanto o presidente do Itaú, Roberto Setubal, estão em Nova York neste momento, conforme fonte, e estariam negociando os detalhes finais da aquisição. Enquanto isso, o presidente do Santander, Sérgio Rial, estaria em Madri.

Leia mais
Preço da gasolina pode baixar até o final de 2016, diz jornal
Plano 2017-2021 da Petrobras traz corte de 25% nos investimentos

A permanência do Itaú até o final da disputa pelo Citi chamou a atenção do mercado, que sempre considerou o Santander como favorito em levar o ativo. Uma fonte diz, porém, que a oferta feita pelo espanhol teria sido "baixíssima".

Outro fator negativo foi o fato de que a notícia da compra da operação na Argentina contribuiu para a queda das ações do Santander no Brasil. Isso pode ter feito a instituição espanhola repensar a compra do Citi no mercado brasileiro. 

Embora a plataforma de varejo do banco americano na Argentina tenha bom desempenho, no Brasil, conforme fontes, amargou prejuízo nos últimos anos. Na Colômbia o ativo deve passar para as mãos do Scotiabank.

Em setembro, as units (conjunto de ações) do Santander Brasil acumulam queda de 4,50%, enquanto as ações PN (preferenciais) do Itaú Unibanco registram baixa de 1,47%.

Estilo

O apetite do Itaú pelo Citi nunca ficou muito claro, já que o banco tem um jeito bem fechado de negociar, envolvendo o mínimo de pessoas possível para evitar o vazamento de interesse em um eventual negócio. Foi assim com o Unibanco, com a Porto Seguro, o BMG e, mais recentemente, com a Recovery, que comprou das mãos do BTG Pactual.

A expectativa do Citi é concluir a venda das suas operações de varejo no Brasil, Argentina e Colômbia ainda neste mês. Por isso, a expectativa é que o anúncio do negócio seja feito em breve. O banco informou a intenção desses desinvestimentos em 19 de fevereiro deste ano.

Apesar de o Santander ser considerado favorito desde o início das negociações, teria contado a favor do Itaú Unibanco não só uma oferta maior que a dos espanhóis, mas também o relacionamento que já possui com o Citi. Na negociação pela Credicard, no passado, já foi assim. Na ocasião, o Itaú desbancou o Bradesco e ficou com o ativo.

A operação de varejo do Citi no Brasil soma R$ 8 bi em operações de crédito, segundo fonte, e uma rede de 71 agências.

Procurados pelo Broadcast, Citi, Itaú e Santander não comentaram a informação. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.