Cenário econômico

"Não dá para dizer que começou uma recuperação" dos serviços, avalia IBGE

Setor teve recuo de 4,6% em novembro na comparação com o mesmo mês de 2015, interrompendo a sequência de recordes  negativos

Por: Estadão Conteúdo
12/01/2017 - 12h08min | Atualizada em 12/01/2017 - 12h08min

Apesar do resultado positivo em novembro, ainda não é possível falar em retomada do setor de serviços, avaliou Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O volume de serviços prestados teve ligeira alta de 0,1% em novembro ante outubro. Na comparação com novembro do ano anterior, houve interrupção na sequência de recordes negativos, com redução mais amena, de -4,6% no setor, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta quinta-feira.

— Houve ligeira recuperação, porque não estamos mais falando da maior queda para o mês de novembro — definiu.

Leia mais
Setor de serviços sobe 0,1% em novembro, aponta IBGE
Copom corta Selic em 0,75 ponto percentual, para 13%
Fiesp elogia corte do juro, mas reivindica também aumento de crédito

No acumulado de janeiro a novembro de 2016, os serviços encolheram 5%. 

— A perda está se estabilizando em torno de 5%, então essa é a tendência para o ano — estimou Saldanha.

Os resultados ligeiramente melhores no mês de novembro acompanham os desempenhos da indústria (que teve avanço de 0,2% ante outubro) e comércio varejista (com crescimento de 2% no período). Na comparação com igual mês de 2015, todas as atividades apresentaram também quedas menores: a indústria caiu 1,1%; o varejo encolheu 3,5%.

— Houve melhora, mas ela tem que ser constate. Não pode ser um mês de alta e outro de queda, tem que ser a recuperação gradativa que a gente espera. Essa recuperação constante da indústria é que propiciará a retomada também do setor de serviços — disse Saldanha. — Não dá para dizer que começou uma recuperação. Tem que ver mais um ponto aí — acrescentou.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.