Eleições na Capital

Debate com candidatos à prefeitura esquenta com críticas, ironias e cobranças

Concorrentes ao Paço Municipal participaram de discussão na noite desta quinta-feira, na TVCOM

21/09/2012 | 00h19
Debate com candidatos à prefeitura esquenta com críticas, ironias e cobranças Andréa Graiz/Agencia RBS
Ao todo, foram quatro blocos de confronto direto entre os concorrentes Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

Acabou o clima de paz e amor. A campanha eleitoral para a prefeitura da maior cidade do Rio Grande do Sul, que vinha morna e sem grandes confrontos até aqui, sofreu uma reviravolta visível a partir do debate desta quinta-feira, na TVCOM.

Candidato à reeleição e melhor colocado nas pesquisas, José Fortunati (PDT) foi atacado de todos os lados, por todos os concorrentes – que também trocaram farpas entre si. Em meio a propostas para áreas como saúde, segurança e mobilidade urbana, não faltaram críticas, ironias e cobranças.

Saiba mais:
> Clique para acessar a capa de notícias de Eleições 2012

O revés começou no minuto inicial. Primeira a perguntar, Manuela D’Ávila (PC do B) dirigiu-se a Roberto Robaina (PSOL) com uma indireta ao prefeito. Como quem decorou as questões, com o texto na ponta da língua, ela desqualificou a gestão da Carris.

Robaina aproveitou a deixa para reclamar da existência de "55 CCs" na empresa de ônibus, mas logo mudou de assunto. Para irritação da comunista, resolveu acusar o vice de Manuela de ter impedido a CPI da Saúde na Câmara de Vereadores.

Depois, foi a vez de Adão Villaverde (PT) mirar Fortunati ao indagar Jocelin Azambuja (PSL). O petista questionou a atitude do prefeito de transformar a cidade em "canteiro de obras às vésperas das eleições".

– O atual governo tem sido marcado por uma gestão de improviso – alfinetou o candidato petista.

Disputa foi acirrada do início até o fim

As críticas a Fortunati continuaram, sem trégua, uma após a outra. Em enfrentamento direto, Fortunati e Manuela, que mal se olhavam nos intervalos e limitavam-se a ouvir as orientações de seus assessores, bateram boca sobre as obras em andamento na Capital. O prefeito bem que tentou se manter alheio à artilharia, mas não se conteve.

– Cada obra tem um tempo de maturação, mas dizem que são eleitoreiras. Quero saber que mágica a candidata fará para fazer tudo o que promete – disse Fortunati.

– Eu não sou mágica, mas não brinco com a vida das pessoas. O senhor ironiza na sua propaganda, quando mostra pessoas tomando chimarrão à noite na praça – rebateu Manuela.

Ao final, o tempo fechou de vez. Todos os candidatos se uniram contra Fortunati, mas também discutiram entre si. Provocada por Robaina, Manuela quase perdeu a linha:

– Não combato a corrupção com blá-blá-blá. Diferente de ti, que acha que é a única pessoa honesta do mundo. Tu falas, falas, mas não tem proposta nenhuma.

O debate terminou, mas a tendência é de que o clima esquente ainda mais daqui para frente, na reta final da campanha. Resta saber que resultados terá a estratégia adotada pelos rivais de Fortunati, que tentam se habilitar a combatê-lo no segundo turno.

Abaixo, siga tudo o que ocorreu no debate pelo twitter @zhpolitica:



> Para ler todas as notícias sobre Eleições 2012, clique aqui

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.