Perfis dos candidatos

A trajetória de Ana Amélia Lemos em cinco momentos

Candidata do PP ao governo gaúcho foi jornalista por mais de 40 anos

04/08/2014 | 13h16
A trajetória de Ana Amélia Lemos em cinco momentos Júlio Cordeiro/Agencia RBS
Ana Amélia Lemos nasceu em Lagoa Vermelha, no norte do Rio Grande do Sul Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS

Dama de companhia

Ana Amélia Lemos nasceu em 23 de março de 1945, em Lagoa Vermelha, no norte do Rio Grande do Sul. É a mais velha dos nove filhos do casal João Laureano de Lemos e Cilene Daros de Lemos. Aos nove anos, recebeu o convite para ser dama de companhia e mudou-se para Porto Alegre. Na Capital, morou quatro anos de sua infância e concluiu o Ensino Básico.

Pedido ao governador

Aos 12 anos, de volta a Lagoa Vermelha, Ana Amélia escreveu uma carta ao então governador, Leonel Brizola, pedindo uma bolsa de estudos. O pedido foi atentido e, dois meses depois, Ana Amélia passava a frequentar o Ensino Médio no colégio Rainha da Paz, em sua cidade natal.


Apresentadora de TV, Ana Amélia se mudou para Brasília em 1979
Foto: Agência RBS

Carreira no Jornalismo

Também com bolsa de estudo, Ana Amélia formou-se em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica (PUCRS). Foi balconista de loja, funcionária pública, secretária executiva e iniciou a carreira jornalística na Rádio Guaíba, em Porto Alegre. Em 1970, começou a trabalhar como repórter de economia no Jornal do Comércio, onde ficou sete anos.

De mala e cuia para Brasília

Em 1977, ingressou no Grupo RBS. Foi repórter de economia, produtora e apresentadora de TV até 1979, quando transferiu-se para Brasília, exercendo as mesmas atividades. A mudança para a capital federal foi motivada pelo então marido, o procurador de Justiça e líder político Octávio Omar Cardoso, que, na época, assumia o cargo de diretor de Recursos Humanos da Caixa Econômica Federal. Ana Amélia ficou viúva de Cardoso em 2011. Eles não tiveram filhos.

Do jornalismo para a política

Em 2009, filiou-se ao Partido Progressista (PP). No ano seguinte, deixou o jornalismo e lançou sua candidatura ao Senado. Em 3 de outubro de 2010, foi eleita senadora pelo Rio Grande do Sul com 29,54% dos votos válidos. Em 2014, concorre pela primeira vez ao governo do Estado.


Senadora durante o Congresso da Mulher Progressista na Assembleia Legislativa
Foto: Leonardo Vargas/Divulgação

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.