Velório e enterro

Despedida a Eduardo Campos terá missa campal e cortejo em Recife

Esquife do político provavelmente será carregado em carro aberto

Atualizada em 14/08/2014 | 09h4014/08/2014 | 08h34
Despedida a Eduardo Campos terá missa campal e cortejo em Recife Carlos Rollsing/Agencia RBS
Jornalistas faziam plantão em frente à casa do ex-governador pela manhã Foto: Carlos Rollsing / Agencia RBS

Embora o cenário ainda contenha incerteza, algumas informações vão se confirmando a respeito das últimas despedidas ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), que concorria à Presidência em 2014.

O velório será no Palácio do Campo das Princesas, haverá uma missa campal em frente ao local e, depois, o corpo seguirá em cortejo até o Cemitério de Santo Amaro, onde ficará no jazigo da família. Como os dois locais ficam próximos, o esquife de Campos será carregado provavelmente em carro aberto, podendo ser acompanhado pela população de Pernambuco.

Leia todas as notícias sobre a morte de Eduardo Campos

O cortejo irá repetir o que aconteceu em 2005, quando o mesmo ritual foi adotado após a morte de Miguel Arraes, líder político da esquerda pernambucana e avô de Campos.

Acidente aéreo matou sete pessoas

Candidato à Presidência pelo PSB, Eduardo Campos morreu na manhã de 13 de agosto, em um acidente de avião em Santos, no litoral paulista. A queda da aeronave, que ia do aeroporto Santos Dumont (RJ) ao aeroporto de Guarujá (SP), matou outras seis pessoas — dois assessores, um fotógrafo, um cinegrafista e dois pilotos.

Nascido em Recife (PE) em 1965, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Henrique Accioly Campos era o terceiro colocado na corrida presidencial, atrás de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). Campos era neto e herdeiro político de um dos mais influentes líderes da esquerda nacional, o também ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes. Casado há mais de 20 anos com a economista Renata Campos, o candidato deixa cinco filhos, com idades entre 21 anos e cinco meses.

Com a morte de Campos, o nome da vice em sua chapa, Marina Silva (PSB), despontou como favorito. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em caso de falecimento de candidato, o partido do substituído tem de pedir o registro da nova candidatura em até 10 dias. O prazo conta a partir do fato que motivou a substituição.
 

Confira imagens do acidente que matou Eduardo Campos e outras seis pessoas:

 

* Zero Hora

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.