Campanha no DF

José Roberto Arruda tenta recuperar cargo de governador em meio à batalha jurídica

Personagem de escândalo de corrupção em 2009, Arruda lidera a corrida com 32%

02/08/2014 | 03h11
Ele protagonizou uma das cenas mais deploráveis da política. Em 2009, José Roberto Arruda, então governador do Distrito Federal (DF), apareceu em um vídeo embolsando um pacote de dinheiro, episódio que ficou conhecido por mensalão do DEM.

Foi preso pela Polícia Federal e perdeu o cargo, que tenta recuperar nesta eleição, agora pelo PR e com apoio de personagens conhecidos da política de Brasília. E arranca como favorito, liderando a corrida com 32% dos votos, de acordo com pesquisa Ibope divulgada na quarta-feira.

No dia 9 de julho, a 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do DF condenou Arruda por dois votos a um. Como é em segunda instância, ele se torna ficha-suja pelos critérios da Lei da Ficha Limpa. A defesa de Arruda entende que a condenação deveria ter ocorrido até 5 de julho (último dia para o registro de candidaturas) para que a Lei da Ficha Limpa tivesse efeito contra o ex-governador.

A controvérsia promete se transformar em batalha judicial. A Procuradoria Regional Eleitoral do DF tenta barrar Arruda alegando que o efeito da lei é imediato. Há duas semanas, questionou sua candidatura, e o caso será analisado pela Justiça Eleitoral.

Apesar disso, Arruda tem desfilado com desenvoltura nas áreas mais carentes do DF, sempre com seguranças. Os percursos são omitidos da imprensa. Arruda pede licença antes de distribuir santinhos. Ao final das caminhadas, improvisa pequenos comícios, colocando-se no papel de vítima.

Em cenas de campanha, já apareceu com crianças no colo, comendo melancia ou em botecos bebendo no balcão e com as mãos engorduradas de batata frita. Na Copa, andava com a camisa da Seleção. Com otimismo escancarado, respondia sem pestanejar a quem questionava a candidatura:

– Disseram que eu não ia ter coragem de ser candidato, e sou. Depois, que não iria ganhar. E vou.

Candidato aposta nas redes sociais

Ele também tem investido boa parte do tempo nas redes sociais, onde, além de se defender do que considera um golpe orquestrado pelo PT, mostra suas realizações como governador, a maioria na área de mobilidade urbana. Além de dizer que o mensalão do DEM não existiu e que as gravações foram anteriores ao seu governo, Arruda opina sobre tudo, até sobre as manifestações de rua no ano passado.

O que é a Lei da Ficha Limpa

Estabelece regras de inelegibilidade para quem quer disputar cargo público. Quem for condenado em segunda instância na Justiça em crimes contra economia popular, fé pública, administração pública e patrimônio público, por exemplo, não pode concorrer por oito anos. Pela lei, os casos de inelegibilidade são analisados na hora do registro.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.