Morte na campanha

Bilhete encontrado com Plínio Zalewski tem tom de despedida, diz delegado que investiga o caso 

Paulo Grillo diz que nas linhas supostamente escritas pelo coordenador de plano de governo do PMDB não havia acusações nem relato de ameaça

Por: Vanessa Kannenberg
18/10/2016 - 11h39min | Atualizada em 18/10/2016 - 18h45min
Bilhete encontrado com Plínio Zalewski tem tom de despedida, diz delegado que investiga o caso  Carlos Macedo/Agencia RBS
Corpo foi encontrado na sede do PMDB, na Avenida João Pessoa, segunda-feira à tarde  Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

A linha de investigação da Polícia Civil sobre a morte de Plínio Zalewski, coordenador do plano de governo de Sebastião Melo (PMDB), segue sendo a de suicídio. Um dos principais indícios é o bilhete encontrado ao lado do corpo, no banheiro do comitê do partido, na tarde de segunda-feira.

Pela primeira vez, na manhã desta terça, o delegado Paulo Grillo, diretor do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deu detalhes do material. Segundo ele, o recado tem cerca de 12 linhas e não pôde ser lido na íntegra, devido às manchas de sangue.

— De forma sucinta, dá pra dizer que foi escrito em tom de despedida. Não tem nenhuma revelação, nenhuma acusação contra alguém e não se dizia ameaçado. Se mostrava pressionado, indignado com a política — descreveu Grillo em entrevista ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha.

Leia mais
Perícia poderá permitir ler o conteúdo do bilhete deixado por Plínio Zalewski
Melo defende que PF assuma investigação de morte de Zalewski
Zalewski demonstrava incômodo com vídeo publicado no YouTube

Defendendo cautela, pois "uma vírgula pode mudar o contexto", o delegado disse que os relatos colhidos com pessoas próximas à vítima "contribuem" com a possibilidade de suicídio, devido ao abatimento sofrido com a campanha eleitoral.

No entanto, a investigação prossegue para descartar qualquer hipótese de homicídio. Outras testemunhas serão ouvidas e o delegado vai aguardar o resultado de exames periciais. Um deles é quanto à autenticidade do bilhete, com objetivo de confirmar que foi escrito por Zalewski.

Como a linha investigativa é de suicídio, o que não configura crime, o caso deve seguir com a Polícia Civil. Mesmo com pedido do candidato Melo, a Polícia Federal deve assumir a investigação somente se houver indícios que mudem as circunstâncias e a motivação do episódio.

* Zero Hora


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.