Investigação

Como foram as últimas horas de Plínio Zalewski

Integrante da campanha de Sebastião Melo (PMDB) foi encontrado morto

18/10/2016 - 18h16min | Atualizada em 18/10/2016 - 22h04min
Como foram as últimas horas de Plínio Zalewski Omar Freitas/Agencia RBS
Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

O coordenador do plano de governo do PMDB para a prefeitura da Capital, Plínio Zalewski, foi encontrado morto no comitê de campanha do partido na tarde de segunda-feira. Confira, com base em relatos de colegas de partido, amigos e da polícia, os últimos passos de Zalewski (os horários são aproximados):

Sexta- feira

À tarde — Terceiro encontro com o advogado Lúcio de Constantino para tratar de eventual defesa em ação criminal em que era apontado como autor de calúnia contra Nelson Marchezan Júnior. Já haviam se encontrado para tratar do assunto na terça e na quinta-feira.

Sábado

14h — Atende um oficial de Justiça para averiguação em um imóvel do PMDB localizado na Rua Riachuelo, após pedido protocolado pelo PSDB. A campanha rival alegara que o local funcionava como comitê clandestino, hipótese negada pelos peemedebistas. Zalewski estava acompanhado de um estagiário e de uma advogada.

20h — Assessor da campanha, Gustavo Ferenci entra em contato por telefone com Zalewski a fim de convidá-lo para uma reunião na sede da Riachuelo. O coordenador do plano de governo estava fora de casa, em companhia da mulher.

22h — Participa de reunião para elaborar um texto de resposta a uma nota do PSDB sobre a averiguação da sede do PMDB. Estão presentes nomes como o presidente municipal do PMDB, Antenor Ferrari, o ex-prefeito José Fogaça e o advogado do PMDB Milton Cava. Zalewski aparenta estar abalado, menos falante do que o normal.

Domingo

0h — No começo da madrugada de domingo, ao final da reunião, Antenor Ferrari dá carona para Zalewski e Gustavo Ferenci. Zalewski é deixado em sua casa, no bairro Menino Deus.

11h30min — O coordenador chega à sede localizada na Avenida João Pessoa, onde participa de uma reunião. Conversa e fuma durante o encontro.

13h — Telefona para a mulher e avisa que não vai almoçar em casa. Comeria um churrasco no comitê.

14h30min — É visto pela última vez por colegas no comitê. O secretário-geral do PMDB na Capital, Alexandre Borck, volta de uma caminhada de campanha e encontra Zalewski na porta do prédio. O coordenador pergunta como foi a caminhada. Segundo Borck, o correligionário se encontra "aéreo" e faz pausas longas durante a conversa.

14h37min — Horário em que é feita a última visualização no WhatsApp do celular de Plínio, de acordo com a polícia.

23h— Sua mulher registra ocorrência de desaparecimento de pessoa na delegacia.

Segunda-feira

14h30min — Horário em que a polícia seria informada sobre a localização do corpo do peemedebista.

Leia mais:
Enterro de Plínio Zalewski reúne políticos de diferentes correntes
Ações do MBL preocupavam Plínio Zalewski, diz advogado
Bilhete encontrado com Plínio Zalewski tem tom de despedida, diz delegado

 * Zero Hora


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.