Do PSOL ao PSDB

Enterro de Plínio Zalewski reúne políticos de diferentes correntes

Responsável pelo programa de governo da candidatura de Sebastião Melo (PMDB) à prefeitura, peemedebista já havia passado por PPS e PT, além de ter colecionado amigos de outros partidos

Por: Vanessa Kannenberg
18/10/2016 - 16h45min | Atualizada em 18/10/2016 - 17h23min
Enterro de Plínio Zalewski reúne políticos de diferentes correntes Félix Zucco/Agencia RBS
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Além de familiares e amigos, a despedida de Plínio Zalewski, 53 anos, encontrado morto na tarde de segunda-feira, reuniu dezenas de políticos das mais variadas correntes nesta terça-feira. O cortejo de enterro ocorreu às 14h30min, no Cemitério João XXIII, em Porto Alegre, ao som de Felicidade, de Lupicínio Rodrigues, tocada pela Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul, e terminou com uma longa salva de palmas.

Homem de confiança de Sebastião Melo e coordenador do plano de governo do candidato a prefeito da Capital, Zalewski integrou o PT e o PPS antes de se tornar peemedebista. Abatido, Melo acompanhou o início do velório e voltou à tarde para o enterro, acompanhado da mulher. A candidata a vice-prefeita na chapa, Juliana Brizola (PDT), também marcou presença.

Diversos correligionários do PMDB também estiveram na despedida, como o ex-senador Pedro Simon, os vereadores Pablo Mendes Ribeiro e André Carús e o deputado afastado Ibsen Pinheiro.

— Era um grande companheiro — resumiu Simon, quando deixava o cemitério.

Leia mais
Sem indício de crime, PF não entra no caso da morte de Plínio Zalewski
Bilhete encontrado com Plínio Zalewski tem tom de despedida
Após interrupção por morte de Zalewski, horário eleitoral volta nesta terça

O amigo Ibsen Pinheiro foi além:

— Mais do que um companheiro e um político qualificado, era uma pessoa afetuosa, que criou laços de proximidade e de amizade por onde passou. Por isso, vai deixar, além de contribuições políticas e partidárias significativas, uma perda pessoal imensa a todos nós.

O prefeito José Fortunati (PDT), que foi companheiro de Zalewski nos anos 1980, quando integravam a mesma corrente petista, ao lado de nomes como Tarso Genro e Marcos Rolim, ressaltou que a amizade foi superior à política.

— Ficam as boas memórias de militância, de um defensor da boa política. Um cara de muitas ideias, que as defendia com muita paixão. Que gostava de um debate, mas nunca agressivo — resumiu Fortunati.

Estiveram no funeral outros ex-companheiros de PT, como o vereador Adeli Sell e Marcos Rolim (ex-PT), assim como outros líderes da esquerda, como os deputados estaduais Manuela D´Ávila (PC do B) e Pedro Ruas (PSOL), a candidata a prefeita da Capital pelo PSOL, Luciana Genro, e os vereadores Fernanda Melchionna e Roberto Robaina, também do PSOL.

A cerimônia ainda contou com a presença da ex-deputada estadual Iara Wortmann (PPS), de Tarsila Crusius (PSDB), filha da ex-governadora Yeda Crusius, do presidente estadual do PSB, Beto Albuquerque, e do deputado federal Luiz Carlos Busato (PTB).

* Zero Hora


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.