Terrorismo

FOTO: menina de 11 anos sequestrada pelo Estado Islâmico é libertada

Desde 2014, criança yazidi, que foi vendida como escrava, estava com o EI

Por: AFP
21/04/2017 - 12h57min | Atualizada em 21/04/2017 - 13h01min
FOTO: menina de 11 anos sequestrada pelo Estado Islâmico é libertada Iraqi police / Handout/Iraqi police
Foto: Iraqi police / Handout / Iraqi police  

As forças iraquianas em Mossul libertaram uma menina yazidi de 11 anos, sequestrada e vendida como escrava pelo grupo Estado Islâmico em 2014, anunciou nesta sexta-feira a polícia federal.

No verão de 2014, o EI massacrou a comunidade yazidi ao conquistar o Monte Sinjar, e sequestrou mulheres, que foram vendidas como esposas para jihadistas ou transformadas em escravas sexuais.

Leia mais
Tiroteio na Champs-Elysées, em Paris, deixa um policial morto e outro ferido
Luiz Antônio Araujo: A eleição na França e o futuro da Europa
Dupla é presa por suspeita de planejar atentado terrorista na França

A menina, sequestrada em seu povoado natal de Kosho no sul de Sinjar, foi libertada na quinta-feira pelas forças de segurança iraquianas no distrito de Tanek, na zona oeste e Mossul, informou Raed Shaker Jawdat, comandante da polícia federal.

— Aqueles que sequestraram essas crianças são monstros — declarou o general Jaafar al-Baatat em um comunicado, acompanhado de um vídeo em que a menina aparece em uma delegacia de polícia no sul de Mossul.

Nas imagens, a menina aparece silenciosa, cercada por policiais que tentavam tranquilizá-la.

A deputada yazidi Vian Dakhil, que revelou os abusos cometidos pelo EI, disse à AFP que a vítima foi sequestrada quando tinha oito anos de idade, com sua mãe e irmãs.

— Primeiro, foi levada para Tal Afar e depois vendida em Mossul — informou, acrescentando que duas de suas irmãs tinham sido vendidas em Raqa, reduto do EI na Síria, onde ainda se encontram.

De acordo com Dakhil, as outras duas irmãs da criança e a mãe foram compradas do EI, um método utilizado pelas autoridades e organizações yazidis para libertar as mulheres desta comunidade, e vivem atualmente na Alemanha.

Cerca de três mil yazidis ainda estariam nas mãos dos extremistas.

Em 2014, ZH viajou à fronteira entre Turquia e Síria para ouvir testemunhas do domínio terrorista sobre partes do Oriente Médio. Clique na imagem abaixo para ler o especial Califado do Terror:

Foto: Alice Martins / Agência RBS


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.