Terrorismo

Atentado com carro-bomba deixa 24 mortos no Afeganistão

Ataque ocorreu em um bairro de maioria xiita, em Cabul, e foi reivindicado pelo Talibã

Por: AFP
24/07/2017 - 06h38min | Atualizada em 24/07/2017 - 08h35min
Atentado com carro-bomba deixa 24 mortos no Afeganistão WAKIL KOHSAR/AFP
Voluntários transportam homem ferido após atentado com carro-bomba, em Cabul Foto: WAKIL KOHSAR / AFP  

A explosão de um carro-bomba deixou pelo menos 24 mortos e dezenas de feridos, nesta segunda-feira (24), em um bairro de maioria xiita de Cabul. De acordo com o jornal The Guardian, o atentado teve como alvo um ônibus que transportava funcionários do governo do Afeganistão. O ataque foi reivindicado pelo Talibã.

O Ministério afegão do Interior comunicou que o veículo levava profissionais do Ministério de Minas. No entanto, o Talibã, por meio da declaração em que assumiu a autoria do atentado, afirmou que o ônibus transportava profissionais da inteligência do governo. 

No domingo (23), um protesto popular previsto para esta segunda-feira foi cancelado por medida de segurança. Minoria no país, a comunidade hazara relembraria o primeiro ano do atentado contra uma manifestação de milhares de seus membros, em 23 de julho de 2016, quando 84 pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas — foi o primeiro ataque reivindicado pelo Estado Islâmico (EI) no centro da capital afegã.

Leia mais
Constituinte incendeia a Venezuela
Israel endurece medidas em Jerusalém e confrontos deixam 3 mortos
Para chefe do Pentágono, líder do EI está vivo

A comunidade hazara é uma minoria xiita de cerca de três milhões de pessoas, discriminada e marginalizada no país. É conhecida por ser uma das mais liberais do Afeganistão, sobretudo, no tratamento reservado às mulheres.

O ataque desta segunda-feira ocorreu pouco antes de 7h pelo horário local (23h30min de domingo, no horário de Brasília). A área da explosão fica próxima a uma zona residencial de Cabul, onde há há muitas academias, universidades e institutos, além de lojas e salões de festas.

Vítimas do ataque foram transportadas de táxi e em carros particulares. Um ônibus ficou completamente carbonizado perto do ministério para onde levava os funcionários. Muitas lojas foram atingidas, e a rua ficou cheia de escombros e de árvores derrubadas.

Equipes de segurança deixam o local do atentado, nesta segunda-feira Foto: WAKIL KOHSAR / AFP

A casa do líder da comunidade xiita hazara e membro do Parlamento, Mohamed Moqaqeq, também fica nas proximidades da área.

— O carro explodiu na frente do primeiro posto de controle da residência do senhor Moqaqeq, deixando mortos e feridos entre os guardas e os civis. Acreditamos que quisesse alcançar a casa do senhor Moqaqeq, mas foi preso por nossos guardas — declarou o porta-voz do parlamentar, Omid Maisom.

O presidente afegão, Ashraf Ghani condenou o atentado, "um crime que alimentará o rancor da população contras os terroristas".

Leia mais notícias de Mundo

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.