Damasco

Exército sírio anuncia cessar-fogo em algumas zonas de Guta

Por: AFP
22/07/2017 - 18h06min

O Exército sírio anunciou neste sábado a suspensão dos combates em algumas "zonas" da Guta Oriental, horas depois de a Rússia anunciar o acordo com rebeldes sírios para garantir a segurança neste enclave perto de Damasco, um dos últimos bastiões da rebelião.

"O comando do Exército anuncia a suspensão dos combates nas zonas da Guta Oriental, na província de Damasco, a partir deste sábado ao meio-dia (do horário local, 09H00 GMT, 06H00 horário de Brasília)", afirma o comunicado citado pela imprensa oficial.

"O Exército responderá de maneira apropiada a qualquer violação" em Guta Oriental, acrescentou o texto, sem dar mais detalhes. O comunicado também não indica quais são as áreas abarcadas pelo cessar-fogo.

Poucas horas antes, Moscou anunciou ter conseguido um acordo com rebeldes sírios para ativar um mecanismo de segurança em Guta Oriental, uma das principais frentes da guerra entre o regime de Bashar Al Assad e os insurgentes desde 2011.

"Foram assinados acordos para a implementação de uma zona de 'desescalada' no enclave de Guta Oriental", declarou o Ministério da Defesa russo em comunicado.

O acordo foi alcançado em negociações entre autoridades russas e opositores moderados no Cairo.

As "fronteiras" da área onde se prevê aplicar o mecanismo "foram definidas, assim como os lugares de deslocamento" das forças de segurança encarregadas pelo respeito ao cessar-fogo, informou o ministério.

Também foram alcançados acordos para estabelecer "rotas de abastecimento humanitário para a população a fim de que os residentes gozem de liberdade de movimento".

"Nos próximos dias será enviado um comboio de ajuda humanitária, e os feridos mais graves serão evacuados", acrescentou o ministério.

No começo de julho, foram celebradas negociações multilaterais em Astana (Cazaquistão) que, no entanto, não permitiram garantir a segurança de várias áreas nem o estabelecimento de um cessar-fogo duradouro na Síria.

Foi mencionado um possível destacamento das forças de manutenção da paz em quatro áreas da região de Idlib, da província de Homs, do enclave de Guta Oriental e no sul do país.

Também foi avaliada a possibilidade de implementar "centros de coordenação e de vigilância" do cessar-fogo, um "mandato" das forças estrangeiras para garantir a segurança das "zonas de desescalada" e o direito desses militares a recorrer à força.

Segundo Moscou, será celebrada outra reunião em Astana com rebeldes e representantes turcos e iranianos "na última semana de agosto".

Mais de 330.000 pessoas morreram na Síria desde que começou o conflito, em março de 2011.

Um libanês que fazia a mediação entre o Hezbollah libanês xiita e os rebeldes extremistas sírios envolvidos em combates no leste do Líbano morreu neste sábado em confrontos, segundo a Agência Nacional de Informação (ANI).

Um dia antes, o Hezbollah, poderosa organização armada que combate junto com o governo de Bashar al-Assad na Síria, anunciou o lançamento de uma operação contra "terroristas armados" de ambos os lados da fronteira.

Segundo o exército libanês, Ahmad al Fliti, personalidade muito conhecida na região de Aarsal, morreu quando seu veículo foi atingido por um obus lançado pela "organização terrorista Frente al-Nusra", ex-braço sírio da Al-Qaeda na Síria.

* AFP

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.