"Vamos zerar o índice de municípios sem biblioteca", diz ministro da Cultura

Juca Ferreira acertou ontem parceria que garantirá R$ 5,9 milhões para iniciativas de incentivo à leitura

Por: Carlos André Moreira
30/06/2010 - 04h18min

A assinatura de convênios para garantir investimentos em sete dezenas de municípios do Rio Grande do Sul fez o ministro da Cultura, Juca Ferreira, alterar sua agenda e vir a Porto Alegre. Ferreira assinou ontem, no início da tarde, convênios com três consórcios municipais e seis cidades, numa parceria que vai destinar um total de R$ 5,9 milhões para iniciativas de incentivo à leitura e ao cinema em 76 municípios do Estado – R$ 4,7 milhões investidos por parte do Ministério da Cultura e R$ 1,2 milhão como contrapartida das prefeituras envolvidas. Os recursos vão para a modernização de bibliotecas e para a instalação de Salas de Leitura e Cines Mais Cultura (minibibliotecas e cineclubes gratuitos para exibição de filmes nacionais).

Zero Hora – Na assinatura do convênio o senhor citou o índice de bibliotecas como 2,7 para cada 10 mil habitantes. Como aumentar essa proporção?

Juca Ferreira –
Quando chegamos ao governo eram 2,6 mil municípios sem biblioteca, e pretendemos zerar isso agora. É um índice praticamente zerado, mas que precisa sempre de checagem, porque há municípios em que a prefeitura fecha bibliotecas para cortar despesas. Estamos inaugurando uma nova geração de bibliotecas, verdadeiros centros culturais. Isso se faz com investimento público. As bibliotecas são 99,9% públicas, e cabe aos governos federal, estaduais e municipais investirem.

ZH – Quando devem entrar em atividade as bibliotecas e os cineclubes previstos nos convênios?

Ferreira –
Provavelmente até o fim do ano. Porque as restrições da lei eleitoral ainda não estão valendo para os documentos assinados hoje. Vai levar só o tempo tecnicamente necessário para as obras ficarem prontas.

ZH – O senhor falou em uma “nova geração de bibliotecas”. Que modelo de biblioteca é necessário hoje para atrair a atenção de um leitor conectado à internet na era do livro eletrônico?

Ferreira –
Uma biblioteca que tenha acervos, e não apenas livros disponíveis. Estamos financiando a digitalização da Biblioteca da USP, estamos digitalizando a Biblioteca Nacional e apoiando a digitalização de muitas bibliotecas estaduais. Evidentemente tem problemas de direito autoral e outra série de questões, mas uma biblioteca não é moderna apenas no aspecto tecnológico. Hoje as bibliotecas ficam esperando que a pessoa vá lá pedir um livro. Como os brasileiros leem 1,7 livro por ano, se você ficar esperando vai lidar com uma parcela ínfima da população. A nova geração de bibliotecas é a que motiva a leitura, que incentiva o interesse pelo livro. Esse é o aspecto mais importante da modernização de uma biblioteca.

Os convênios
PARCERIAS
Os valores abaixo referem-se ao investimento total, somando os recursos do Ministério da Cultura e a contrapartida de cada prefeitura:
- Alvorada: R$ 115 mil para modernização de uma biblioteca e instalação de três pontos de leitura
- Bento Gonçalves: 200 mil para a instalação de 10 pontos de leitura
- Cachoeirinha: R$ 155 mil para a modernização de uma biblioteca e a instalação de cinco pontos de leitura
- Capão da Canoa: R$ 110 mil para modernização de duas bibliotecas públicas
- Dois Irmãos: R$ 245 mil para a modernização de três bibliotecas e a instalação de quatro pontos de leitura
- São Leopoldo: R$ 1,5 milhão para modernização de duas bibliotecas, instalação de seis pontos de leitura, seis salas Cine Mais Cultura e a formação de 44 agentes de leitura
CIDADES POR CONSÓRCIO
- Nove bibliotecas modernizadas, seis pontos de leitura e cinco salas de Cine Mais Cultura na região do Consórcio Intermunicipal do Vale do Rio Caí, formado pelos municípios de Alto Feliz, Bom Princípio, Barão, Brochier, Capela de Santana, Harmonia, Feliz, Linha Nova, Maratá, Montenegro, Pareci Novo, Poço das Antas, Portão, São José do Hortêncio, São Pedro da Serra, São Sebastião do Caí, Salvador do Sul, São José do Sul, São Vendelino, Tabaí, Tupandi e Vale Real
- Nove bibliotecas modernizadas, 10 pontos de cultura e 24 Cines Mais Cultura nas cidades do Consórcio Alto Uruguai, formado pelos municípios Alpestre, Ametista, Barra do Guarita, Boa Vista das Missões, Caiçara, Cristal do Sul, Derrubadas, Dois Irmãos das Missões, Erval Seco, Frederico Westphalen, Iraí, Jaboticaba, Miraguaí, Palmitinho, Pinhal, Pinheirinho do Vale, Planalto, Rodeio Bonito, Seberi, Taquaruçu do Sul, Tenente Portela, Vista Gaúcha, Vista Alegre e Palmeira das Missões
- 23 bibliotecas modernizadas, 24 Pontos de Leitura e 24 Cines Mais Cultura para o Consórcio Região do Alto Uruguai, formado pelos municípios de Benjamin Constant do Sul, Campinas do Sul, Centenário, Cerro Grande, Chiapetta, Erebango, Erechim, Erval Grande, Floriano Peixoto, Fontoura Xavier, Gaurama, Ibiaçá, Itatiba do Sul, Jacutinga, Lajeado Bugre, Machadinho, Mariano Moro, Maximiliano de Almeida, Novo Tiradentes, Ponte Preta, Paim Filho, Severiano de Almeida, Serafina Corrêa e Vicente Dutra
 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.