Pane no vão móvel da Ponte do Guaíba causa colapso no trânsito da Região Metropolitana

Problema no sistema de freios começou por volta das 9h

Atualizada em 01/10/2010 | 13h2901/10/2010 | 09h50
Pane no vão móvel da Ponte do Guaíba causa colapso no trânsito da Região Metropolitana Ronaldo Bernadi/
Uma pane no vão móvel da Ponte do Guaíba causou colapso no trânsito da Região Metropolitana Foto: zerohora.comgaleria de fotos
Uma pane no sistema de freio da Ponte do Guaíba trava o vão móvel desde as 9h desta sexta-feira. O problema causa o colapso do trânsito da Região Metropolitana. O trânsito está totalmente parado no acesso à ponte e por mais de 15 quilômetros de extensão na BR-290. A BR-116 também apresenta fluxo lento, principalmente na entrada da Capital.



A lentidão também atinge as vias centrais da Capital, como Castelo Branco, Farrapos, Sertório e Voluntários da Pátria. Para resolver o problema, a Concepa decidiu baixar a ponte de forma manual, por meio de uma manivela instalada na parte inferior da construção. Além de 10 funcionários da concessionária, soldados do Corpo de Bombeiros foram chamados para ajudar a girar a ferramenta.



Inicialmente, a previsão era de liberar a ponte até o meio-dia, mas durante uma hora de trabalho a equipe conseguiu reduzir em apenas um metro a distância da elevada para o chão. Faltam oito metros para voltar ao nível normal. A nova estimativa é de que o serviço será concluído por volta das 14h.

Acompanhe a cobertura em tempo real:



Histórico de problemas

Em julho, problemas em dois parafusos do vão móvel fizeram o equipamento enguiçar e causaram um megacongestionamento de mais de duas horas e meia nos dois sentidos do acesso.

Em meio ao tumulto causado pelo congestionamento, fatos curiosos chamaram a atenção de quem estava na região. Durante alguns minutos, o trânsito teve de ser interrompido na freeway para que um helicóptero resgatasse mulher que estava em trabalho de parto.



A Polícia Rodoviária Federal também teve de atender dois casos de pessoas que passaram mal e tiveram que ser levados para hospitais de Porto Alegre. Outro incidente ocorreu com um jovem de 14 anos que ficou separado de sua mãe, Sandra.

Everton Borba de Oliveira estava em um ônibus, e voltava da consulta do dentista, em Porto Alegre. Sandra estava indo trabalhar na Capital, quando a ponte enguiçou.

http://zerohora.clicrbs.com.br/rbs/image/8684388.jpg

— Ela ficou de um lado, eu de outro. Abanei para ela. Minha tia viu ela na TV e me ligou, estava com medo que ela caísse porque estava muito perto da beira — disse o adolescente.
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.