Em votação da ONU, Brasil muda de posição e se mostra favorável à investigação no Irã

Resolução dos EUA propõe o envio de um relator ao país de Mahmoud Ahmadinejad

24/03/2011 - 10h00min | Atualizada em 24/03/2011 - 11h32min
Em votação do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas nesta manhã, em Genebra, o Brasil se mostrou favorável a uma resolução que propõe o envio de um relator especial ao Irã para investigar denúncias de violações de direitos humanos do governo de Mahmoud Ahmadinejad.

A resolução foi aprovada com 22 votos a favor, sete contrários e 14 abstenções. Entre os países que votaram contra figuram a China, Cuba, Paquistão e Rússia.

A votação marca a mudança de posição do Brasil em relação ao país. Desde 2002, o Irã não autoriza a renovação do último mandato do relator especial e, desde 2005, não deixa entrar no país nenhum dos relatores temáticos da ONU.

Em 2001, o Brasil se absteve de votar na resolução que visava renovar o mandato de um relator no Irã em função do compromisso assumido pelo governo iraniano de aumentar sua cooperação com o sistema.

Ao justificar o voto hoje, o Brasil apontou que a situação dos direitos humanos no Irã merece a atenção do Conselho:

"Essa resolução também deve ser vista como a expressão de um entendimento comum de que é importante, necessário e imperativo que todos os Estados membros das Nações Unidas colaborem com os relatores especiais e com outros mecanismos do Conselho de Direitos Humanos."
 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.