Rede pública

Hospital da Capital vai oferecer fertilização in vitro pelo SUS

Fêmina inaugurou Laboratório de Reprodução Humana nesta quarta

Atualizada em 08/03/2012 | 19h3707/03/2012 | 19h08

Correção: Das 19h de quarta às 19h de quinta, este site informou equivocadamente que o Fêmina seria o primeiro hospital gaúcho a realizar a técnica de fertilização in vitro para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Na verdade, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre já oferece o serviço. O texto foi corrigido.

O Fêmina, de Porto Alegre, vai realizar a técnica de fertilização in vitro para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). A instituição inaugurou nesta quarta seu Laboratório de Reprodução Humana, onde o procedimento vai ser realizado.

Conforme a coordenadora da Unidade de Reprodução Humana do Fêmina, a ginecologista Andréa Nácul, cerca de 15% dos casais brasileiros têm problemas de infertilidade. Com a técnica de fertilização in vitro, as chances da paciente engravidar são de cerca de 50%. A médica lembra, no entanto, que o SUS não paga os medicamentos necessários para a indução da ovulação. O Fêmina, está buscando o financiamento dessas medicações por órgãos de saúde pública.

O Laboratório de Reprodução Humana integra a Unidade de Reprodução Humana do hospital, que já realiza inseminações intrauterinas. Terá capacidade para fazer mensalmente dez fertilizações in vitro e dez inseminações intrauterinas.

O novo setor foi construído no nono andar do Fêmina, junto ao Bloco Cirúrgico. A obra custou R$ 450 mil, com recursos do Ministério da Saúde. O serviço contará com dois médicos ginecologistas e obstetras, um médico urologista, um biólogo embriologista, além de equipes de apoio de Enfermagem, Nutrição, Psicologia e Assistência Social.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.